Início » Vida » Comportamento » Estudo sugere que alunos avaliam professores de forma injusta
EDUCAÇÃO

Estudo sugere que alunos avaliam professores de forma injusta

Análise da 'Economist' mostra que estudantes costumam usar critérios injustos para avaliar professores

Estudo sugere que alunos avaliam professores de forma injusta
As avaliações dos alunos basearam-se em três critérios: 'utilidade', 'clareza' e 'facilidade' (Foto: Flickr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os alunos relutam em falar na classe, mas adoram fazer comentários anônimos online sobre os professores. Esse é um material extremamente útil para pesquisas de opinião. Com a ajuda de Enrico Bertini e de Cristian Felix da Universidade de Nova York, a revista Economist analisou 1.289.407 observações a respeito de 1.066 professores e conferencistas no estado de Nova York.

As avaliações dos alunos basearam-se em três critérios: “utilidade”, “clareza” e “facilidade” (o interesse e cuidado na execução de uma tarefa, bem como a capacidade intelectual dos professores são menos importantes nos critérios de avaliação). Em geral, os professores recebiam boas notas nas duas primeiras categorias, em uma média de 3,7 na escala de 5 em ambas as categorias, mas os alunos davam notas um pouco mais baixas na classificação “facilidade”.

As disciplinas dos cursos são muito diversificadas o que dificultou a avaliação mais uniforme do desempenho dos professores. O ensino acadêmico de matérias quantitativas recebeu notas mais baixas na categoria facilidade. Os professores de sociologia receberam uma nota de 3,4 na escala de 5, bem mais alta do que a nota de 2,9 dos físicos. Apesar de a filosofia ser uma matéria pesada e mais profunda, seus professores foram considerados brilhantes pelos alunos.

Mesmo péssimas avaliações nem sempre são críticas à capacidade intelectual e pedagógica dos professores. Uma pesquisa realizada em 2007 mostrou que as avaliações dos professores relacionavam-se à facilidade e ao atrativo das matérias que ensinavam, enquanto outro estudo feito no ano passado revelou que os professores de matemática com sobrenomes asiáticos recebiam notas mais baixas, porque os alunos tinham dificuldade de entender o sotaque deles. A avaliação da competência acadêmica de um professor universitário é tão complexa que não pode ser medida por notas aleatórias e subjetivas de seus alunos, ou vice-versa.

Fontes:
The Economist-Ratngs agency

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Avaliação é instrumento para conhecer o aluno. Quando o aluno avalia, ele diz pouco sobre o professor e muito sobre o quanto aquilo vale para ele.

  2. Roberto1776 disse:

    As pesquisas SUGEREM? desde quando aluno tem condições de julgar o mestre? Aluno, para começo de conversa, nem sabe o que o professor tem em mente ao iniciar uma aula. Professor só pode ser analisado e julgado pelos seus pares e pelos resultados que os seus alunos alcançam.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *