Início » Internacional » Assange escreve autobiografia para pagar sua defesa

Assange escreve autobiografia para pagar sua defesa

O fundador do Wikileaks fechou contratos com duas editoras para vender o livro por cerca de 1 milhão de euros

Assange escreve autobiografia para pagar sua defesa
Assange disse que já gastou 235 mil euros com a sua defesa (Fonte: AP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, revelou neste domingo, 26, que chegou a um acordo para vender suas memórias por cerca de 1 milhão de euros. Em entrevista ao jornal inglês The Sunday Times, Assange afirmou que não queria escrever a autobiografia, mas que não teve escolha, já que precisa do dinheiro para pagar os advogados que o defendem das acusações de estupro apresentadas por duas mulheres na Suécia.

De acordo com o Sunday Times, Assange assinou um contrato de 620 mil euros com a editora norte-americana Alfred A. Knopf, e outro no valor de 382 mil euros com a editora britânica Canongate.

“Não quero escrever esse livro mas não tenho remédio”, declarou Assange ao jornal inglês. “Já gastei 200 mil libras (235 mil euros) com advogados, agora preciso desse dinheiro para me defender e manter o WikiLeaks vivo”.

O hacker australiano, de 39 anos, está sob liberdade condicional e vivendo no interior da Inglaterra em prisão domiciliar enquanto luta contra a extradição para a Suécia, onde autoridades desejam interrogá-lo sobre os supostos crimes sexuais.

Durante a entrevista, Assange também deu detalhes sobre as relações que manteve com as mulheres que  o acusam de abuso sexual, dando a entender que trata-se de um problema de ciúmes entre elas somado à rigidez das leis suecas. Na Suécia, relações sexuais mantidas sem o uso de preservativo são consideradas estupro se não houver o consentimento pleno da mulher.

Assange lamentou que a polêmica em torno das acusações venha sendo usada para diminuir a “transcendência” do impacto da publicação de documentos secretos do Departamento de Estado norte-americano.

De acordo com o jornal britânico The Guardian,  Assange  deve ter um manuscrito pronto já em março de 2011.  No Brasil, o livro deverá ser publicado pela editora Cia. das Letras. O lançamento será simultâneo em todo o mundo, mas ainda não há data definida.

Fontes:
El País - Assange vende sus memorias para poder financiar su defensa

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *