Início » Internacional » Assentamento de sírios nos EUA está acelerando
CRISE DOS REFUGIADOS

Assentamento de sírios nos EUA está acelerando

Até o final de setembro até dez mil refugiados devem chegar ao país

Assentamento de sírios nos EUA está acelerando
Devido a questões de segurança, um refugiado leva cerca de dois anos para ser admitido em solo americano (Foto: Pixabay)

Depois de um começo lento, o influxo de sírios nos Estados Unidos vem aumentando nos últimos meses. Até o final de setembro, devem chegar dez mil refugiados, montante que foi prometido pelo governo Obama.

Leia mais: Obama rejeita pressão de governadores contra refugiados sírios

Ano passado, os EUA se comprometeram a reassentar 85 mil refugiados de todo o mundo no ano fiscal, que começou em 1° de outubro, incluindo pelo menos dez mil sírios. No entanto, em 31 de março, no meio do ano fiscal, apenas 1.825 sírios haviam chegado a terras americanas, segundo os dados oficiais. Até 30 de junho, por outro lado, este número saltou para 5.211.

Entre os sírios que chegaram este ano, 20% são homens adultos, 20% são mulheres adultas e 60% são crianças.

Enquanto no ano fiscal de 2014, os Estados Unidos só reassentaram 105 sírios, no ano fiscal de 2015 foram 1.682. Devido a questões de segurança, um refugiado leva cerca de dois anos para ser admitido em solo americano.

Muitos governadores republicanos foram contra o recebimento de refugiados sírios. O candidato republicano Donald Trump chegou a propor uma proibição temporária para que os muçulmanos não pudessem entrar nos Estados Unidos. A democrata Hilary Clinton, por outro lado, pediu que os Estados Unidos aceitassem mais refugiados sírios.

O conflito na Síria chega a seu sexto ano, forçando milhões a fugir. Cerca de cinco milhões de sírios já se registraram ou estão esperando para se registrar na comissão de refugiados das Nações Unidas.

 

Fontes:
The Wall Street Journal-Settlement of Syrian Refugees in the U.S. Accelerates

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *