Início » Internacional » Ataque em Burkina Faso deixa pelo menos 37 mortos
ÁFRICA

Ataque em Burkina Faso deixa pelo menos 37 mortos

Foi o 3º ataque, em 15 meses, contra funcionários da mineradora Semafo, que tem sede em Montreal, no Canadá. Nenhum grupo terrorista reivindicou o atentado

Ataque em Burkina Faso deixa pelo menos 37 mortos
Recente onda de violência tem assustado os moradores de Bukina Faso (Foto: SEMAFO inc./YouTube)

Pelo menos 37 pessoas morreram e 60 ficaram feridas durante um ataque de homens armados a um comboio em Burkina Faso, na África Ocidental, na última quarta-feira, 6. O atentado está sendo tido como um dos episódios mais mortais da recente onda de violência na região.

As vítimas eram funcionários da empresa de mineração Semafo, que tem sede em Montreal, no Canadá. Segundo a companhia, cinco ônibus com funcionários estavam sendo escoltados por militares quando foram atacados. O comboio seguia em direção à mina de ouro de Boungou.

“Estamos devastados por esse ataque sem precedentes. Nossas sinceras condolências são dadas às famílias e colegas das vítimas. Nossa prioridade é sua segurança, proteção e bem-estar. Dada a escala do ataque, levará algum tempo para lidar adequadamente com isso e faremos o possível para apoiar todos os afetados”, afirmou o presidente da Semafo, Benoit Desormeaux, através de um comunicado.

O atentado não foi reivindicado por nenhuma organização terrorista. Analistas internacionais apontam que o ataque pode ter sido motivado por questões étnicas, disputas pessoais, ganhos monetários, entre outras coisas, que não disputas ideológicas ou religiosas.

Desde o agosto do ano passado, porém, a Semafo tem sofrido ataques mortais. Em agosto de 2018, um ônibus da empresa foi detido por criminosos e tiros com agentes de segurança foram trocados. Em dezembro do ano passado, cinco funcionários que viajavam para Boungou foram mortos. Após os atentados, parte dos transportes de funcionários estrangeiros passaram a ser feitos de helicóptero, enquanto funcionários locais viajavam de ônibus, mas com a segurança reforçada.

A onda de violência cresceu recentemente em Burkina Faso, que é tido como um país relativamente calmo. Entre 6 de agosto e 30 de setembro, estima-se que pelo menos 26 militares morreram e 25 ficaram feridos em ataques. Milhares de pessoas já deixaram suas casas. O motivo da violência seria a presença de grupos terroristas, incluindo o Estado Islâmico (Isis).

Fontes:
The New York Times-Gunmen in Burkina Faso Attack Canadian Mining Company Convoy, Killing 37
Al Jazeera-Burkina Faso: 37 killed in attack on Canadian mining convoy

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *