Início » Internacional » Ataque terrorista na Tunísia provoca mortes em museu
Terrorismo

Ataque terrorista na Tunísia provoca mortes em museu

O cerco com reféns durou cerca de três horas em uma das principais atrações turísticas da capital

Ataque terrorista na Tunísia provoca mortes em museu
Imagem do canal de TV Tunísia 1 mostra pessoas escapando do museu durante o ataque (Reprodução/AFP/Getty Images)

Pelo menos 19 pessoas foram mortas na Tunísia após dois homens armados invadirem o Museu do Bardo, uma das principais atrações turísticas da capital, Tunis. O cerco com reféns durou três horas.

O primeiro-ministro da Tunísia, Habib Essid, disse que 17 dos mortos eram turistas da Alemanha, da Itália, da Espanha e da Polônia, chamando o ataque de uma agressão covarde com alvo na economia. Fontes diplomáticas latino-americanas disseram à agência Efe que um brasileiro e dois colombianos também foram mortos, mas o Itamaraty ainda não confirmou a informação.

Dois homens armados foram mortos, mas segundo o primeiro-ministro, haveria mais dois ou três.  A identidade deles ainda não foi descoberta. As forças de segurança imediatamente ocuparam a área. Próximo ao museu, o prédio do Parlamento da Tunísia, onde deputados estavam debatendo a nova lei antiterrorismo, foi esvaziado.

O prédio do museu foi construído no século XV. Ele é o maior museu da Tunísia, além de ser o lar de de uma das maiores coleções dos mosaicos romanos com cerca de oito mil peças.

Primavera Árabe

A Tunísia completou recentemente uma jornada difícil para a democracia depois de derrubar seu presidente autoritário em 2011, visto por muitos como o início da Primavera Árabe. O país anda mais estável do que os outros países da região, mas tem lutado contra a violência  dos extremistas islâmicos, que juraram lealdade à Al Qaeda  e ao Estado Islâmico. Segundo as estimativas do governo, cerca de três mil pessoas foram recrutadas, no país, para lutar a favor do Estado Islâmico, na Síria e no Iraque.

O ataque aconteceu um dia depois que as autoridades de segurança da Tunísia confirmaram a morte, na Líbia, de Ahmed Rouissi, o principal suspeito nos ataques terroristas e nos assassinatos de duas figuras de oposição na Tunísia. Além disso, no dia anterior ao ataque, a Tunísia anunciou uma grande apreensão de armas de grupos jihadistas, provocando especulações de que o ataque ao museu poderia ter sido feito por vingança por grupos jihadistas.

 

Fontes:
The New York Times-Gunmen Kill at Least 20 at Museum in Tunisian Capital
The Guardian-Tunis museum attack: 19 people killed after hostage drama at tourist site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *