Início » Internacional » Atentado em Boston: radicais anti-governo ou islâmicos?
Partidarismo nos EUA

Atentado em Boston: radicais anti-governo ou islâmicos?

A fixação em identificar datas que podem servir de pistas sobre os responsáveis pelas explosões em Boston acabam perpetuando rixas violentas

Atentado em Boston: radicais anti-governo ou islâmicos?
Bandeiras a meio mastro nos EUA em sinal de luto (Reprodução/AFP)

Em pouco menos de 24 horas, ninguém aprendeu nada de novo sobre as explosões em Boston. No entanto, a falta de informação não impediu o posicionamento de certos grupos, ansiosos por revelar suas opiniões prontas tão logo um suspeito ou uma “pessoa de interesse” seja identificada. Extremistas anti-governo? É possível sentir a ansiedade da esquerda enquanto espera desesperadamente que isso seja verdade. Fanáticos muçulmanos? É a vez da direita salivar. O aborrecimento da direita ontem, quando Barack Obama não disse a palavra “terrorismo” no seu primeiro pronunciamento após as explosões era palpável.

Leia também: Terror volta a assombrar os EUA

Segunda-feira foi um feriado estadual obscuro em Massachusetts chamado Dia dos Patriotas. Foi também o prazo para a apresentação das declarações fiscais em todo o país. E no final da semana vem os aniversários do atentado de Oklahoma City e a invasão da sede de uma seita religiosa em Waco, Texas, um dia sagrado no calendário dos malucos anti-governo. Estas datas foram cuidadosamente apresentadas como “provas em potencial” de que os responsáveis pelas explosões poderiam ser radicais anti-governo. Mas qualquer pessoa com acesso ao Google e algum tempo livre poderia facilmente pescar outra data importante na história islâmica que caia nesta semana.

É exatamente a fixação em calendários que perpetua rixas violentas. Um lado lembra os erros e abusos do outro vividamente, como se tivessem acontecido ontem, e sente um certo prazer sádico em comemorá-los. Do outro lado, uma fonte constantemente reabastecida de queixas alimenta militantes, mantendo-os prontos para reagir a um crime ou mesmo um equívoco vindo do outro lado. E assim os conflitos se mantêm, como feridas abertas.

Fontes:
Economist - Calendars of grievance

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Andre Luiz D. Queiroz disse:

    Estou inclinado a suspeitar que tenha sido ação de radicais anti-governo mesmo. Não houve até agora nenhuma manifestação de Al-Qaeda e afins assumindo o atentado — fosse o caso, já estariam na Internet requisitando a autoria há muito tempo, creio.

    Outra coisa: os artefatos explosivos, feitos com panelas de pressão, forma muitos improvisados! Células terroristas islâmicas de ação internacional teriam lançado mão de bombas mais sofisticadas, creio.

    Claro, isso tudo é suposição…

  2. helo disse:

    Andre Luiz,
    Hoje o ON noticia que esses tipos de explosivos feitos com panelas de pressão têm sido utilizados no Afeganistão, na Índia, no Nepal e no Paquistão, segundo relatório do FBI e do Departamento de Segurança Interna dos EUA, datado de julho de 2010.
    A origem, qualquer que seja a autoria, é doente, ou como diz Obama é um ato de terror.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *