Início » Internacional » Ativistas de direitos dos animais são condenados na Inglaterra
REINO UNIDO

Ativistas de direitos dos animais são condenados na Inglaterra

Natasha Simpkins e Sven Van Hasselt participaram de uma campanha de intimidação e ameaças contra funcionários de uma empresa que testa em animais

Ativistas de direitos dos animais são condenados na Inglaterra
A britânica Natasha Simpkins e seu marido holandês Sven Van Hasselt são membros do grupo Stop Huntingdon Aminal Cruelty (Foto: Metropolitan Police)

Na última quarta-feira, 24, dois ativistas de direitos dos animais foram sentenciados, na Inglaterra, por sua participação em uma campanha de intimidação, que durou mais de uma década. A britânica Natasha Simpkins e seu marido holandês Sven Van Hasselt são membros do grupo Stop Huntingdon Aminal Cruelty (Shac, na sigla em inglês), que tenta fechar uma empresa britânica que promove testes de laboratório em animais.

O casal, preso no dia 17 de fevereiro, participou da campanha que aterrorizava e ameaçava funcionários, fornecedores da empresa e parceiros comerciais na Europa, com dispositivos incendiários e falsas alegações de pedofilia. O grupo chegou até a mandar absorventes usados, que diziam conter o vírus do HIV.

Segundo a BBC, Van Hasselt, de 31 anos, recebeu uma pena de cinco anos e Simpkins, de 30 anos, uma senteça de dois anos em condicional. O procurador do caso, Michael Bowes, disse que Van Hasselt estava envolvido no envio de bombas que destruíram carros de funcionários e de companhias ligadas ao Huntingdon Life Sciences (HLS), que cuida do maior laboratório europeu que testa em animais. O objetivo era colocar HLS fora dos negócios ao fazer com que as fornecedoras cortassem seus laços com a empresa. Segundo Bowes, a campanha também incluiu a profanação de um túmulo, além do roubo de uma urna com as cinzas da mãe de um funcionário. A defesa de Van Hasselt alega que o réu tem síndrome de Asperger e que ele lamenta o que fez.

Na série de ataques, que ocorreram na França, Suíça e Alemanha, entre 2008 e 2009, o grupo usou removedor de tintas nos carros dos funcionários e escreveram nas paredes de suas casas, frases como: “Largue HLS ou você vai morrer”. O grupo também bloqueou o sistema de e-mails e de telefone dos funcionários.

Numa operação conjunta, a polícia identificou e prendeu três suspeitos de chantagem em julho de 2012. Simpkins e Van Hasselt foram presos em Amsterdã, na Holanda, e Debbie Vincent, em Croydon, na Inglaterra. Vincent foi condenada a seis anos de prisão em abril de 2014. Simpkins e Van Hasselt foram então extraditados da Holanda para o Reino Unido por terem atacado uma fazenda de visons (animal parecido com uma doninha), liberando 5 mil animais.

Fontes:
Independent-Animal rights campaigners sentenced after protest group sent 'Aids-contaminated' post to researchers
Metropolitan Police- Animal rights protestors sentenced for conspiracy to blackmail
BBC-Huntingdon Life Sciences terror plot couple sentenced

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *