Início » Internacional » Ativistas exortam Alemanha a cessar venda de armas para Hong Kong
PROTESTOS PRÓ-DEMOCRACIA

Ativistas exortam Alemanha a cessar venda de armas para Hong Kong

Os equipamentos usados para controle de manifestações em Hong Kong, que têm alcançado altos índices de violência, são fabricados na Alemanha

Ativistas exortam Alemanha a cessar venda de armas para Hong Kong
Joshua Wong, proeminente ativista pró-democracia de Hong Kong, se reuniu com o ministro Heiko Mass (Foto: Joshua Wong/Twitter)

Manifestantes pró-democracia de Hong Kong se encontraram com políticos e autoridades alemãs nos últimos dias. Durante as reuniões, eles pediram que a Alemanha cesse a exportação de armas e equipamentos de controle de distúrbios para Hong Kong.

Os equipamentos usados para controle de manifestações em Hong Kong, que têm alcançado altos índices de violência, são fabricados na Alemanha, como os canhões de água utilizados pela polícia, segundo apontou Joshua Wong, um dos mais conhecidos mobilizadores da onda de protestos, que participou das reuniões.

Para os ativistas pró-democracia, a exportação dos equipamentos deve ser cessada, pois, segundo Wong, os fabricantes alemães “não devem ser os apoiadores da polícia de Hong Kong”.

O objetivo das reuniões, segundo Wong, é pressionar o governo da China para colocar leis de direitos humanos “que respeitam os padrões europeus” na agenda política.

Em entrevista à imprensa, Wong destacou o “ar de liberdade” que se respira na Alemanha. “O ar de liberdade que respiro aqui, em vez do cheiro irritante de gás lacrimogêneo, me lembra o quão importante é para mim compartilhar os pensamentos das pessoas que participam dos protestos em Hong Kong no momento”, afirmou Wong.

Em sua passagem por Berlim, Wong se reuniu com o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Mass. As fotos do encontro irritaram autoridades chinesas, que categorizaram o encontro como “desrespeitoso” em relação à soberania nacional chinesa.

As manifestações de movimentos pró-democracia eclodiram em Hong Kong há cerca de três meses. Os protestos foram impulsionados por um projeto de lei de extradição de pessoas para a China. Ao longo das manifestações, estima-se que 1,2 mil manifestantes foram detidos e sete pessoas morreram.

Na próxima semana, Joshua Wong participará de uma audiência pública em Washington, nos Estados Unidos, em um evento da Comissão Executiva do Congresso sobre a China, que foi criada para monitorar os direitos humanos e o estado de direito na China. A audiência, chamada de “Verão de descontentamento em Hong Kong”, vai acontecer na próxima terça-feira, 17.

“Esta audiência examinará os desenvolvimentos em Hong Kong e o futuro das relações EUA-Hong Kong à luz das manifestações em andamento e das crescentes tensões causadas pela violência policial e pelas ameaças do governo chinês contra a autonomia de Hong Kong. Testemunhas prestarão testemunho em primeira mão sobre os eventos atuais em Hong Kong, discutirão o papel do governo chinês na crise política de Hong Kong e oferecerão recomendações para a Administração e o Congresso dos EUA”, explicou a comissão através de um comunicado.

Leia também: Líder de Hong Kong retira projeto de extradição para a China
Leia também: Google bane contas no YouTube por fake news sobre Hong Kong
Leia também: As raízes da insatisfação em Hong Kong
Leia também: Hong Kong tem casas pobres menores que celas de presídio

Fontes:
The Guardian-Hong Kong activist to Germany: stop selling riot control kit to city

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *