Início » Economia » Crise econômica faz aumentar o número de crimes em Belém
CISJORDÂNIA

Crise econômica faz aumentar o número de crimes em Belém

Houve um aumento de 43% nos crimes contra a propriedade nas últimas semanas, um sinal de que a economia Cisjordânia não vai bem

Crise econômica faz aumentar o número de crimes em Belém
As autoridades israelenses descrevem os assaltantes como jovens desesperados que não têm nada a perder (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Pelo menos 55 pessoas foram assaltadas em Belém nos últimos dois meses. Alguns dos roubos foram bastante sérios. Em apenas uma casa no subúrbio de Beit Jala o prejuízo foi de mais de US$ 64.000 em 11 de dezembro. Em 2013, ocorreram apenas 230 furtos. Logo, nas últimas semanas houve um aumento de 43% nos crimes contra a propriedade.

Leia mais: Violência traz melancolia ao Natal em Belém

Belém e o Oriente Médio em geral continuam seguros para os padrões ocidentais. Em 2013, a relação de roubo foi menor que dois para mil residentes. Na Inglaterra e no país de Gales, a taxa foi quatro vezes mais alta. Contudo, a onda de crimes em Belém é um sinal de que a economia na Cisjordânia não vai bem. O Banco Mundial informou em setembro que este é o terceiro ano consecutivo que o PIB per capita entre os territórios ocupados encolhe.

A retração atingiu especialmente Belém, que depende dos turistas e peregrinos que visitam anualmente a cidade. Mas os ataques entre palestinos e israelenses que vêm acontecendo desde outubro assustaram os visitantes.

Um quarto da população está desempregada e mais de 20% está abaixo da linha de pobreza. As autoridades israelenses descrevem os assaltantes como jovens desesperados que não têm nada a perder.

 

Fontes:
The Economist-Jesus’s birthplace is hit by a spate of burglaries

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *