Início » Internacional » Austrália planeja matar 2 milhões de gatos selvagens
INTERNACIONAL

Austrália planeja matar 2 milhões de gatos selvagens

Segundo autoridades do governo, gatos selvagens causaram a extinção de cerca de 20 espécies de mamíferos na Austrália

Austrália planeja matar 2 milhões de gatos selvagens
Os gatos morrem dentro de 15 minutos depois de comerem as linguiças (Foto: PxHere)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O governo australiano está lançando linguiças venenosas em milhares de hectares de terra em um esforço para matar 2 milhões de gatos selvagens até 2020. O objetivo é proteger as espécies nativas. Os gatos também são presos e abatidos por funcionários do governo.

Os gatos morrem dentro de 15 minutos depois de comerem as linguiças feitas com carne de canguru, gordura de galinha, ervas, temperos e o veneno. Aviões que distribuem as linguiças envenenadas, que são produzidas em uma fábrica perto de Perth, soltam 50 delas a cada quilômetro nas áreas onde os gatos andam livremente.

Dave Algar, que ajudou a desenvolver a receita do veneno, disse que usou seus gatos para testar o sabor das salsichas antes de adicionar o veneno. “Elas têm que ter um gosto bom. Elas são a última refeição do gato”, disse ele aos jornais.

Desde que foram introduzidos pela primeira vez na Austrália, por colonos europeus, os gatos selvagens ajudaram a levar cerca de 20 espécies de mamíferos à extinção, segundo informou Gregory Andrews, comissário nacional de espécies ameaçadas, ao jornal Sydney Morning Herald.

De acordo com Andrews, isso faz com que os gatos selvagens sejam a maior ameaça às espécies nativas da Austrália. “Temos de fazer escolhas para salvar animais que amamos e que nos definem como uma nação como o bilby, o warru e o papagaio noturno”, disse ele.

Estima-se que os gatos matem 377 milhões de aves e 649 milhões de répteis a cada ano na Austrália, de acordo com um estudo de 2017 publicado na revista Biological Conservation.

Quando o governo australiano anunciou pela primeira vez sua meta de abate de gatos, em 2015, atraiu críticas internacionais. Mais de 160 mil pessoas assinaram meia dúzia de petições online pedindo à Austrália para abandonar o plano. A atriz Brigette Bardot escreveu uma carta pedindo ao governo para impedir o “genocídio animal”, enquanto o cantor Morissey respondeu dizendo que “idiotas dominam a terra”.

O sacrifício também foi criticado por pessoas que argumentam que o governo está se concentrando demais em gatos, em vez de abordar outros fatores que reduzem a biodiversidade, como a expansão urbana, a extração de madeira e a mineração.

Tim Doherty, ecologista ambientalista da Universidade Deakin, na Austrália, disse à CNN: “Existe uma possibilidade de que os gatos estejam sendo usados como distração até certo ponto. Também precisamos ter uma abordagem mais holística e abordar todas as ameaças à biodiversidade”, disse ele.

Apesar dos métodos mais criativos empregados no sacrifício de gatos selvagens do governo, os atiradores individuais são responsáveis pelos 83% dos gatos mortos até agora, de acordo com o The Royal Melbourne Institute.

A Austrália não é o único país a se concentrar na redução das populações de gatos selvagens, com pedidos na Nova Zelândia para acabar com os gatos domésticos. O país anunciou a meta de se tornar completamente livre de predadores até 2050. E, no ano passado, Omaui, uma pequena cidade litorânea na Ilha do Sul, considerou proibir as pessoas de possuírem gatos – embora desde então tenha recuado sobre esse plano.

Fontes:
Independent-Australia plans to kill millions of feral cats by airdropping sausages laced with poison

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Almanakut Brasil disse:

    Quando há proliferação, não existe outra escolha.

    E é o mesmo que precisa acontecer com certos tipos de supostos seres humanos.

  2. ClaudIorque Carneiro disse:

    Aqui no Brasil isso ocorre com os javalis.

  3. angelo rosa disse:

    A Austrália já sofreu outras infestações como a de dingos e coelhos. Os dingos são cães domésticos que criaram a mesma capacidade desses gatos agora, de viver na natureza. Milhões de coelhos também dizimaram extensas áreas de vegetação. Só acho que se os ativistas lutam para salvar a vida dos gatos e preferem castrá-los, deve-se separar um milhão de km quadrados pra esses imbecis tentarem fazer isso. Não existe genocídio animal, seria no máximo animalcídio.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *