Início » Economia » Barcos à deriva revelam desespero na Coreia do Norte
CRISE ALIMENTÍCIA

Barcos à deriva revelam desespero na Coreia do Norte

Sanções e escassez de alimentos devido à seca levam norte-coreanos a buscar peixes e outros frutos do mar na costa do Japão

Barcos à deriva revelam desespero na Coreia do Norte
Somente este ano, 64 barcos de pesca norte-coreanos foram encontrados no mar do Japão (Foto: Flickr/Raymond Cunningham)

A situação da Coreia do Norte parece se complicar a cada dia. Entre sanções das Organizações das Nações Unidas (ONU) e a pior seca registrada desde 2001, a população do país se arrisca para conseguir alimentos.

Com isso, o número de barcos norte-coreanos encontrados navegando a costa do Japão em busca de peixes e outros frutos do mar tem crescido, com 28 barcos e 42 pessoas resgatadas apenas no mês de novembro. No total, 64 barcos de pesca norte-coreanos foram encontrados vagando pelo mar do Japão este ano.

Leia mais: Como lutar uma guerra com soldados desnutridos?

O aumento foi grande se comparado a novembro de 2016, quando apenas quatro embarcações norte-coreanas foram encontradas no mar japonês. O crescimento recente mostra que os norte-coreanos estão assumindo maiores riscos para conseguir uma quantidade maior de frutos do mar.

O problema com a falta de alimentos na Coreia do Norte é tão grande que em 2016 o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou que aproximadamente 25 mil crianças norte-coreanas precisavam de tratamento imediato devido à desnutrição.

Essas movimentações marítimas parecem ter aumentado após as chamadas do líder norte-coreano, Kim Jong-un, para que o país reúna alimentos o suficiente para suas tropas militares e seus cidadãos. Além disso, a busca por peixes no mar do Japão é uma forma de obter renda para o governo, exportando os frutos do mar para a China – que tem sido uma grande parceira comercial da Coreia do Norte – e outros países. Isso porque países como Estados Unidos e Japão estão tentando pressionar o orçamento do governo da Coreia do Norte, auxiliados pelas sanções da ONU, para que o país abandone seus programas de mísseis e armas nucleares.

O jornal do Partido dos Trabalhadores da Coreia, Rondong Sinmum, revelou, em editorial publicado recentemente, que as pescas de inverno são extremamente importantes para a sobrevivência do país, fortalecendo, inclusive, o poderio militar coreano. “Os barcos de pesca são como navios de guerra, protegendo as pessoas e a pátria. Os peixes são como balas e conchas de artilharia”.

Dessa forma, para alcançar as cotas necessárias, pescadores pilotam seus pequenos e mal equipados barcos para um mar distante, tentando explorar os ricos campos de pesca próximos à zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas japonesas. Alguns acabam ficando sem combustível ou enfrentam problemas mecânicos, sendo arrastados para a costa do Japão.

Os japoneses, por sua vez, intensificaram as patrulhas marítimas para impedir que os barcos norte-coreanos transportem possíveis espiões, mesmo que ainda não haja evidências de que as embarcações estejam se aproximando do Japão por esse motivo.

Atualmente, dez membros da tripulação de um barco norte-coreano estão sob investigação por terem admitido que roubaram itens de uma cabana de uma ilha do Japão onde se refugiaram em novembro. Outros oito pescadores sobreviventes, que foram resgatados após o barco afundar, devem ser enviados de volta para a Coreia do Norte.

Fontes:
The Guardian - North Korean 'ghost ships' reveal desperation for food and funds

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Daniela Villa disse:

    É fácil constatar que os norte-coreanos são desnutridos, o único gordinho lá é o presidente maluquéti.

  2. Markut disse:

    Falta um pente fino para explicar e entender esse desvario de um país faminto se arvorar em ameaçadora potência nuclear.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *