Início » Internacional » Bélgica inicia julgamento de suspeito dos ataques de Paris
JULGAMENTO

Bélgica inicia julgamento de suspeito dos ataques de Paris

Salah Abdeslam, único suspeito sobrevivente dos atentados de Paris, se recusou a cooperar com o julgamento

Bélgica inicia julgamento de suspeito dos ataques de Paris
O julgamento vai durar até sexta-feira (Foto: Isopix/REX/Shutterstock)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nesta segunda-feira, 5, começou o julgamento do único suspeito sobrevivente dos ataques de Paris, que ocorreram em novembro de 2015. Salah Abdeslam, francês de origem marroquina nascido na Bélgica, de 28 anos, se recusou a responder perguntas e a se levantar quando a juíza pediu. Ele disse que não iria cooperar com o julgamento.

Após os ataques em 2015, ele fugiu de Paris e se escondeu em um apartamento no distrito de Molenbeek, em Bruxelas. Quando a polícia chegou ao local. Abdeslam estava com Sofien Ayari, tunisiano que combateu na Síria, e com o argelino Mohamed Belkaid. Eles abriram fogo de dentro do apartamento, ferindo três policiais. Belkaid, suspeito de ter coordenado por telefone os vários terroristas na noite de 13 de novembro de 2015, acabou morrendo no hospital. Abdeslam fugiu pelo telhado, mas foi pego três dias depois. Ayari, que está sendo julgado no mesmo tribunal, alega que apenas Belkaid atirou contra os polícias.

No tribunal, Abdeslam não é acusado pelos ataques de Paris, mas de tentar matar policiais no momento da prisão. Desde sua detenção, Abdeslam se recusa a falar com os investigadores, fazendo seus advogados desistirem da defesa. “Eu não desejo responder nenhuma pergunta”, disse quando a juíza Marie-France Keutgen pediu que ele confirmasse sua identidade.

O julgamento vai durar até sexta-feira. O local do tribunal e as ruas próximas estão sendo vigiadas e as forças de segurança estão em alerta máximo. Se eles forem considerados culpados, os dois podem pegar até 40 anos de prisão.

A polícia acredita que o apartamento onde eles foram encontrados tenha sido usado por uma célula terrorista.  Abdeslam foi considerado o homem mais procurado da Europa depois dos ataques de Paris, que mataram 130 pessoas e feriram outras centenas de pessoas. Tudo começou quando um suicida se explodiu após não conseguir entrar no estádio da França. O presidente François Hollande estava presente entre a plateia de 80 mil pessoas.

O incidente foi seguido por tiroteios e ataques suicidas em cafés e restaurantes no norte de Paris e um ataque no teatro Bataclan durante um show de rock, onde 89 pessoas foram mortas. O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelos ataques coordenados. Investigadores acreditam que a operação foi planejada na Síria e organizada por um grupo em Bruxelas.

Acredita-se também que Abdeslam tenha ligação com a célula responsável pelo ataque em março de 2016 no aeroporto de Bruxelas e no metrô, que matou 32 pessoas, além da tentativa de ataque num trem que ia de Amsterdã para Paris, em agosto de 2015.

Carta no laptop

A polícia encontrou um laptop que havia sido jogado no lixo pouco antes das bombas em Bruxelas. No hard drive estava uma carta que os investigadores acreditam que tenha sido escrita por Abdeslam. No texto, ele diz que queria morrer com seus “irmãos” nos ataques de Paris, mas seu colete suicida não explodiu.

Um colete cheio de explosivos foi descoberto no lixo no sul de Paris. Ele tinha falhas nos cabos e no detonador, mas especialistas ainda não têm certeza se foi realmente um defeito ou se foi sabotado, já que depois da sua prisão na Bélgica, Abdeslam disse à polícia que jogou seu colete no lixo depois de mudar de opinião sobre o que pretendia fazer. Segundo a polícia, ele estava planejando outros ataques.

 

Fontes:
The Guardian- Paris attacks suspect Salah Abdeslam silent as trial opens in Belgium
RTP-Bélgica começa a julgar suspeito dos ataques de Paris de 2015

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *