Início » Internacional » Bisbilhotagem da mídia é via de mão dupla
Big Brother

Bisbilhotagem da mídia é via de mão dupla

Tantos abusos são cometidos por tantos grupos diferentes que é difícil identificar quem são as vítimas e quem são os malfeitores

Bisbilhotagem da mídia é via de mão dupla
Repórteres da Bloomberg rastrearam as consultas de assinantes de seu terminal de dados (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A notícia veiculada na segunda-feira, 13, sobre a apreensão, pelo Departamento de Justiça dos EUA, de registros de mais de 20 linhas telefônicas da agência Associated Press deixou o Quarto Poder em frenesi.

“Não pode haver uma justificativa para tamanha coleta das comunicações telefônicas da Associated Press e de seus jornalistas”, escreveu Gary Pruitt, executivo-chefe da Associated Press, em carta de protesto a Eric Holder Jr., o procurador-geral dos EUA.

Dado que o atual governo americano iniciou seis processos contra pessoas suspeitas de vazamento de informações confidenciais, o mesmo governo que estabeleceu um recorde no uso da Lei de Espionagem, a história da Associated Press reforça uma crescente atmosfera no jornalismo em que repórteres se preocupam em monitorar quem está olhando por cima de seus ombros enquanto digitam.

No caso da Associated Press, que foi notificada da investigação do Departamento de Justiça na última sexta-feira, 10, seus líderes temem que as informações obtidas “fornecerão um guia para a forma como a AP obtém notícias e revelarão informações sobre as atividades e operações da AP”.

Algo sobre isso soa familiar.

Os assinantes que utilizam os terminais de dados da Bloomberg descobriram na sexta-feira, 10, no mesmo dia que o governo americano avisou a AP sobre as apreensões de seus registros telefônicos – que jornalistas da Bloomberg News tinham usado seus terminais para descobrir quando os clientes estavam acessando o serviço. Além da Goldman Sachs, JPMorgan Chase e outros grandes bancos, adivinhe quem estava entre os assinantes interessados​​? O Tesouro dos Estados Unidos, o Federal Reserve (Banco Central americano) e o Federal Deposit Insurance Corporation (agência federal cuja principal função é a garantia de depósitos bancários).

A caça e o caçador, o hacker e o hackeado, pelo visto não se sabe mais quem é quem.

 

Fontes:
The New York Times - Snooping and the News Media: It’s a 2-Way Street

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Mauricio Fernandez disse:

    O povo! Sempre o povo será a vítima. Cultos e ignorantes. Acreditar em outra coisa não é questão de cultura e sim de ingenuidade.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *