Início » Internacional » Blogueiros culpam autoridades russas por enchente
tragédia russa

Blogueiros culpam autoridades russas por enchente

Mais de 170 morreram em decorrência do alagamento. Vladmir Putin diz que a tragédia foi causada por chuvas torrenciais

Blogueiros culpam autoridades russas por enchente
Parentes enterram vítimas da enchente em Krymsk (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Mais de 170 pessoas morreram na enchente que atingiu o sudoeste da Rússia na manhã deste sábado, 7, e o número de mortos continuou a aumentar ao longo do fim de semana.  A enchente teve início às 3h da manhã de sábado, atingindo o primeiro e segundo andar de prédios na região. Alguns moradores se afogaram enquanto dormiam. Muitas cidades e vilarejos foram afetados. O estado mais crítico é o de Krymsk. Há informações de que a cidade de aproximadamente 60 mil habitantes foi completamente devastada. Logo no início da tarde de sábado, começaram a surgir nos blogs os primeiros relatos culpando as autoridades.  “Eu não acredito que Krymsk não existe mais” escreveu a jovem Yulia Andropova em sua página na rede social russa Vkontakte.ru. Aparentemente escrevendo de Krymsk, ela conta como a cidade foi deliberadamente alagada para poupar uma cidade maior, Novorossiysk.

“Todos estão mantendo o silêncio sobre isso, mas na noite passada meu pai estava trabalhando e disse que marcaram um emergência no meio da noite para decidir quando abririam as comportas de água do reservatório de Neberdzhaevskoye”, escreveu a jovem. “O que você acha? Claro que decidiram abrir as comportas! Eles sacrificaram Krymsk e ainda assim não conseguiram evitar a enchente em Novorossiysk. Bom trabalho! Mas pelo menos eles podiam alertar as pessoas de que a enchente estava chegando. Por que não mandaram a polícia dar o alerta? Por que não ligaram as sirenes para acordar as pessoas? Agora as fábricas estão fechadas, não temos água nem eletricidade. Krymsk está cercada por tropas. Já nem mais existe uma Krymsk, apenas ruínas. Muitos idosos morreram, pais de amigos meus estão desaparecidos. Eles não estavam em casa quando as equipes de resgate chegaram, nem  foram encontrados no necrotério”.

O post foi repassado por milhares de usuários em diferentes redes sociais. Blogueiros renomados e jornalistas utilizaram o post para mostrar o desrespeito do regime de Putin à vida humana.

Na noite do mesmo sábado a página de Andropova na rede social foi deletada, assim como muitos tweets de outros internautas sobre o desastre. Um deles explicou que decidiu apagar seus posts após receber ligações ameaçadoras.

Enquanto isso, o presidente Vladimir Putin e o governador da região afetada, Alexander Tkachev, negaram em entrevista à TV estatal que o desastre é resultado da decisão de abrir as comportas. Alegaram que a culpa foi apenas das chuvas torrenciais. Blogueiros imediatamente notaram que nenhum dos canais estatais estava transmitindo ao vivo a cobertura do desastre nas zonas afetadas, ou boletins informativos.

Entretanto, ainda na noite de sábado, dois blogueiros postaram análises detalhadas da topografia da região, concluindo que Krymsk foi provavelmente alagada devido às chuvas torrenciais próximo às montanhas, que transformaram os rios, normalmente tranquilos, em correntes monstruosas.

Outro blogueiro, Eugeny Shultz, concluiu que o reservatório provavelmente transbordou sozinho, sem necessidade de se abrir as comportas. Segundo o blogueiro, neste reservatório não existem comportas. “Não devemos inventar um crime onde não existe nenhum”, escreveu Shultz. “Até porque existem outras razões suficientes para estar irritado com o regime”, acrescentou o blogueiro.

Muitas pessoas que compartilharam a postagem de Andropova, mais tarde também compartilharam a análise de Shultz. Para os russos, as duas versões podem ser verdadeiras. Contudo, com a população desacreditada de todos os membros da esfera pública, uma versão que atribua malícia às autoridades é bem mais plausível que uma versão de desastre natural.

Fontes:
The New York Times-Russians After the Deluge

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *