Início » Internacional » Boas notícias renovam esperança no combate ao surto de ebola
Ebola na Libéria

Boas notícias renovam esperança no combate ao surto de ebola

Medidas eficazes contra o ebola ajudaram a Libéria a conter o vírus. Porém, ainda é cedo para dar a epidemia por terminada

Boas notícias renovam esperança no combate ao surto de ebola
Número de novos casos caiu significativamente na Libéria (Reprodução/John Moore)

Há dois meses, corpos de pessoas que morreram infectadas pelo ebola jaziam nas ruas de Monróvia, capital da Libéria. Hoje, muitos leitos dos centros de tratamento do vírus no país estão vazios. Estaria a epidemia que o devastou o país finalmente acabando?

Leia mais: França confirma segundo caso de ebola no país
Leia mais: Como o celular pode ajudar a conter o surto de ebola
Leia mais: Unicef identifica primeiro paciente a contrair o vírus do ebola na África

Ainda é cedo para tal afirmação, mas Bruce Aylward, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), está otimista. O número de novos casos de ebola na Libéria, país mais afetado pelo vírus, está diminuindo. Na semana passada, a Cruz Vermelha Internacional recolheu 117 corpos de pacientes mortos pelo vírus. O número é bem menor que a média de 315 corpos por semana recolhidos durante o auge do surto.

Para Aylward, a mudança no comportamento das pessoas foi a principal responsável pela diminuição de novos casos. Entre os motivos apontados por Aylward como essenciais para conter o vírus estão o enterro rápido e seguro dos mortos e o isolamento dos infectados. O governo da Libéria também foi eficaz em rastrear todos os que tiveram algum contato com um infectado.

Apesar da redução no número de casos, Aylward diz que a verba e a ajuda internacional ainda são cruciais para a Libéria, pois há o risco do surto se mover de uma região para outra. Além disso, de uma forma geral, o surto na África Ocidental ainda está longe do fim. O mais recente balanço da OMS, divulgado na semana passada, mostra que o vírus já infectou 13.567 pessoas, das quais 4.951 morreram.

Aylward diz que as primeiras boas notícias não significam que o vírus está controlado. “É como dizer que seu tigre de estimação está sob controle”, diz o diretor-geral.

Fontes:
The Economist-A glimmer of hope

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *