Início » Cultura » Bob Dylan ganha Nobel de Literatura
PRÊMIO NOBEL 2016

Bob Dylan ganha Nobel de Literatura

Pela primeira vez na história, a Academia Sueca anuncia um cantor e compositor como ganhador do Nobel. Decisão é considerada uma surpresa

Bob Dylan ganha Nobel de Literatura
O compositor receberá 8 milhões de coroas suecas, o equivalente a R$ 2,9 milhões (Foto: Wikipedia)

O cantor e compositor Bob Dylan foi anunciado nesta quinta-feira, 13, como o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 2016. O prêmio foi entregue a Dylan por “ter criado novas expressões poéticas dentro da tradicional música americana”. É a primeira vez que a Academia Sueca elege um compositor musical na história do prêmio Nobel.

Em seus 54 anos de carreira, o artista americano gravou 37 álbuns, sendo o último, “Fallen angels”, em maio deste ano. Durante esse período, lançou diversos livros, como o livro de poesias experimentais “Tarântula” (sua primeira obra literária, de 1971) e a primeira parte (e até agora única) de sua autobiografia “Crônicas – Vol. 1” (livro mais vendido em 2004). Desde 1993, quando a escritora Toni Morrison venceu o Nobel, um americano não recebia o prêmio.

“Ele é um grande poeta na tradição inglesa, ele incorpora a tradição e por 54 anos ele vem se reinventando, criando novas identidades”, disse a secretária permanente da Academia Sueca, Sara Danius, logo após o anúncio. Ela ainda destacou o álbum “Blonde on Blonde”, de 1996, como “exemplo extraordinário de sua maneira brilhante de rimar, juntando refrões, e de sua maneira brilhante de pensar”.

Apesar de constantemente ser apontado como um possível nome para ganhar o prêmio, Dylan não costumava aparecer como um dos favoritos das casas de apostas e neste ano não foi diferente. O candidato mais cotado para receber o prêmio era o japonês Haruki Murakami.

Danius admitiu após o anúncio que a escolha do músico parece surpreendente, mas defendeu-a citando os poetas gregos Homero e Safo. “Eles escreveram textos poéticos que foram feitos para a performance, e o mesmo acontece com Bob Dylan. Nós ainda lemos Homero e Safo, e gostamos”.

Com o prêmio, o compositor receberá 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,9 milhões). Além deste Nobel, Dylan já ganhou outros vários prêmios, como onze Grammys, um Oscar e um Globo de Ouro.

Fontes:
O Globo-Bob Dylan vence o Nobel de Literatura 2016
Folha de S. Paulo-Músico Bob Dylan ganha o Nobel de Literatura 2016

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Celso Rodrigo Branicio disse:

    Existem muitos escritores de altíssimo nível no mundo que ainda não foram premiados, inclusive brasileiros, olhando por este ângulo esta premiação parece ter sido injusta, mas dentre os compositores musicais, certamente Bob Dylan é o melhor entre eles e neste sentido sua premiação vem valorizar e reconhecer o grande trabalho dos compositores musicais do mundo, neste sentido foi uma premiação justa e que vai ajudar a melhorar a qualidade das letras musicais que passam assim a ter um reconhecimento maior como obras literárias.

  2. Mateus Kacowicz disse:

    Gostaria de deitar meus deztões sobre essa escolha de Bob Dylan.

    Durante a idade média o menestrel, o bardo, o trovador, alegrava as gentes com suas histórias, reais ou ficcionais, transmitidas em forma de arte. Era uma transmissão que se dava nos adros das igrejas, mas ao largo dos seus cânones. O cantador, o cordelista da época, versejava e conseguia distrair — e de algum modo informar — seu público, o que lhe valia os trocados do dia. Assim também eram os retablos, os guignols, os trovadores, os circos-teatro, todos itinerantes, procurando sempre cantar em outra freguesia. Vêm desde a Grécia, desde que Homero imortalizou isso.

    As apresentações eram longas e poderiam durar o tempo que fosse necessário para que a história contada/cantada se completasse. Com a invenção das gravações fonográficas surgiu a necessidade de comprimir as performances em três minutos, tempo que cada face do disco de 78 rotações comportava.
    Estavam condenadas as amplas narrativas.

    A ênfase da composição passou para o refrão, para a frase agradável, que gruda como chiclete na mente e que é fácil assoviar. Mas a evolução tecnológica, que antes ameaçou, voltou a libertar a composição. As gravações expandiram-se dos três minutos originais, e gênios como Bob Dylan puderam compor – e contar/cantar – o quanto quisessem.

    Ao distinguir esse monumento que é Bob Dylan, o Nobel não está inovando, mas premiando essa arte ancestral e que de tempos em tempos encontra seu Homero.

  3. Dorival Barroso disse:

    A contribuição de Bob Dylan (Robert Allen Zimmerman; Duluth, 24 de maio de 1941– nome hebraico: Zushe ben Avraham — Foi buscar o pseudônimo em Dylan Thomas, poeta gaélico (País de Gales). Sua contribuição à cultura não só dos EUA mas do nosso mundo ocidental é fundamental. Cinco décadas traduzindo em canções a cultura do país e do mundo. Viva a coragem daqueles velhinhos em Estocolmo de dar o prêmio para um americano, roqueiro, judeu, provavelmente divulgador do uso da erva…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *