Início » Internacional » Boko Haram será derrotado em um mês, diz presidente da Nigéria
Guerra ao Terror

Boko Haram será derrotado em um mês, diz presidente da Nigéria

A oito dias da eleição presidencial no país, o presidente Goodluck Jonathan afirmou que o grupo 'radical está cada dia mais fraco'

Boko Haram será derrotado em um mês, diz presidente da Nigéria
Jonathan reconheceu que o avanço do Boko Haram muito se deve a falta de investimento do governo no exército (Foto: Reprodução/Guardian)

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, afirmou nesta sexta-feira, 20, que os militares esperam recuperar em um mês as cidades dominadas pelo grupo radical Boko Haram, no que seria uma rápida vitória após seis anos de um confronto violento. Jonathan, que disputará as eleições no dia 28 de março em busca de continuar ocupando o cargo, afirmou que o grupo “está enfraquecendo a cada dia”.

“Eu estou muito esperançoso de que não levaremos mais de um mês para recuperar territórios que até o momento estão nas mãos deles”, disse o presidente, em entrevista à BBC.

Porém, os especialistas alertam para a prematura declaração de vitória, com os insurgentes ainda mostrando a capacidade organização e de realizar ataques relâmpago.

A Nigéria tem obtido grandes avanços contra o Boko Haram com a ajuda de países parceiros como Níger, Camarões e Chade, conseguindo em um mês o que tentou por anos sem sucesso. Dois dos três principais estados atingidos pela guerra, Yobe e Adamawa, foram declarados livres.

O terceiro, Borno, deve ser libertado nos próximos dias, de acordo com os militares. Grandes cidades, como Bama e Dikwa, estão entre os 36 territórios recuperados, com apenas três ainda sob posse dos rebeldes.

Desde o início do conflito, há seis anos, mais de 13 mil pessoas morreram. O Conselheiro de Segurança Nacional, Mike Omeri, afirmou esta semana que o ataque final está a caminho.

Anúncio de vitória pode ajudar nas eleições

Com a disputa presidencial a pouco mais de uma semana, o anúncio de vitória contra um dos principais males do país pode ter um sentido político para ajudar na campanha de reeleição de Goodluck Jonathan, é o que afirma o vice-presidente da consultoria de segurança e risco da África, Stratfor, Mark Schroeder.

“O risco que ele corre é que os rebeldes não estejam realmente derrotados e sim parados por uma postura política. Seria um caso semelhante ao do ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ao declarar ‘missão cumprida’, em 2003, símbolo de uma vitória prematura no Iraque. Claramente o país até hoje enfrenta a insurgência islâmica”, disse Schroeder.

Até este ano, as tropas nigerianas vinham se mostrando incapazes de deter o avanço da milícia, que se mostrava mais bem equipada e preparada que o exército local. A aliança do Boko Haram com o Isis fortaleceu ainda mais o grupo nigeriano. O presidente reconheceu que a culpa foi da falta de recursos.

Fontes:
The Guardian-Boko Haram 'getting weaker every day', says Nigeria president

1 Opinião

  1. Renato Fregapani disse:

    O “boa sorte” Jonathan está doido. Ninguém vence esses grupos, eles mudam de nome e reaparecem ali mesmo ou em outro lugar

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *