Início » Internacional » Bombardeios russos suspendem ajuda humanitária na Síria
GUERRA NA SÍRIA

Bombardeios russos suspendem ajuda humanitária na Síria

Ataques russos na Síria atingem cada vez mais mercados, hospitais e rotas de ajuda humanitária, aprofundando a crise no país

Bombardeios russos suspendem ajuda humanitária na Síria
Ataques a alvos civis tornam a crise humanitária na Síria ainda mais crítica (Foto: unocha.org)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os bombardeios russos na Síria estão forçando agentes humanitários a reduzir ou suspender o envio de alimentos e itens de cuidados médicos no país. O alerta foi dado por agentes de diferentes organizações humanitárias em um relatório divulgado pela agência da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários.

Segundo as organizações, a Rússia intensificou os bombardeios no país após ter um de seus aviões militares abatido na fronteira entre a Síria e a Turquia. Porém, os ataques também vêm atingindo mais mercados, hospitais e rotas de envio de ajuda humanitária.

A suspensão de ajuda iniciou uma nova e mais profunda crise humanitária na Síria. “É uma crise em ascensão. Há um sofrimento extremo e as pessoas não estão sendo protegidas”, disse Rae McGrath, diretor da organização Mercy Corps, uma das maiores provedoras de alimentos para o norte da Síria.

“Também estamos vendo um aumento no número de vítimas civis. Mais e mais pessoas estão sendo feridas por conta da intensificação dos bombardeios. É difícil imaginar que a situação da Síria poderia ficar pior, mas ficou”, disse McGrath.

Nas últimas semanas a Rússia intensificou os bombardeios contra o Estado Islâmico e outros diferentes grupos jihadistas, como a Frente al-Nusra e a Al Qaeda. Rebeldes contra o governo do presidente Basha al Assad, aliado de Vladimir Putin, também estão sendo atacados.

A maior parte dos ataques está ocorrendo próximo à fronteira da Síria com a Turquia. Como o governo turco está sendo pressionado para conter a onda de imigrantes que usa seu país como rota para chegar à Europa, o país decidiu fechar a fronteira com a Síria. Segundo Nadim Houry, da Human Rights Watch, isso impede a fuga de milhares de pessoas afetadas pelo conflito na região. “As pessoas estão basicamente correndo de um lugar para outro em busca de segurança, mas não há nenhum lugar para escapar. É extremamente desolador”.

Fontes:
The Washington Post-Russian airstrikes force a halt to aid in Syria, triggering a new crisis

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Tendo em vista que a Turquia, sob as mãos sujas de Erdogan, estava e, quem sabe, ainda está financiando os terroristas do estado Muçulmano através da compra de petróleo terrorista, com consentimento dos EUA, esta notícia não pode ser tomada como séria. Seria interessante ver o que outros jornais, não americanos, dizem sobre o assunto. Os EUA, sob o comando de um muçulmano disfarçado, B. Hussein Obama, não parece estar muito interessados numa solução para esta crise internacional.

  2. ney disse:

    Culpa do estado islâmico de seu grande parceiro os EUA.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *