Início » Internacional » Canadá denuncia prisões em massa na China
CIDADÃOS CANADENSES

Canadá denuncia prisões em massa na China

Pelo menos 13 canadenses foram detidos após o Canadá prender, por dez dias, a diretora financeira da empresa chinesa Huawei, Meng Wanzhou

Canadá denuncia prisões em massa na China
Governo não acusa China de retaliação, mas diplomatas veem vingança (Foto: Canada in China/Twitter)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Canadá e China passam por um momento de tensão diplomática desde o último mês de dezembro, quando a diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi presa no país norte-americano. Desde então, pelo menos 13 cidadãos canadenses foram presos em território chinês, segundo afirmou o governo canadense em um comunicado na última quinta-feira, 3.

Ao menos oito destes detidos já foram libertados, segundo informou o Canadá, sem divulgar quais acusações os cidadãos respondiam. O governo canadense esclareceu que não vê vínculos entre a prisão de Wanzhou e as detenções dos cidadãos, que incluem o ex-diplomata canadense Michael Kovrig e a professora Sarah McIver.

De acordo com uma autoridade canadense, Sarah McIver foi libertada e já voltou ao Canadá, enquanto Kovrig segue sob custódia chinesa. Ao contrário do governo canadense, diplomatas baseados em Pequim e ex-diplomatas canadenses acreditam em uma represália chinesa.

Antes da declaração da última quinta-feira, apenas três prisões haviam sido reveladas pelo governo canadense. No último dia 21 de dezembro, a ministra das Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, acusou autoridades chinesas de realizar “detenções arbitrárias”.

Nesta sexta-feira, 4, Lu Kang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, não falou sobre a detenções dos canadenses reveladas pelo governo canadense. No entanto, Kang garantiu que a China protege os direitos legais dos estrangeiros.

Ponto inicial

O início da tensão diplomática entre China e Canadá ocorreu no dia 1º de dezembro, quando a diretora financeira da empresa de tecnologia Huawei, Meng Wanzhou, foi presa no Canadá. A executiva só foi libertada no dia 11 de dezembro, mediante ao pagamento de uma fiança de US$ 7,4 milhões.

Proprietária de duas residências em Vancouver, no Canadá, Wanzhou, de 46 anos, luta contra uma possível extradição para os Estados Unidos. A diretora está sendo monitorada, através de uma tornozeleira eletrônica, e deve ficar em casa entre 23h e 6h.

Viagem à China

Mesmo com a tensão diplomática, uma comitiva de autoridades canadenses segue para a China no próximo sábado, 5. Liderada pelos senadores Victor Oh e Joseph Day, a viagem foi organizada pela Associação Legislativa Canadá-China. Os senadores serão acompanhados pelos parlamentares Michael Cooper, Geng Tan, Majid Jowhari e Chandra Arya.

“No final do dia, se houvesse um risco, não estaríamos indo. Essa ligação foi feita pela Global Affairs Canada [que gerencia relações diplomáticas do Canadá], em conjunto com nossos funcionários da embaixada, e a mensagem que eles enviaram foi de que seria benéfico”, afirmou Cooper em entrevista à CBC News.

Fontes:
The Guardian-Canada says 13 citizens detained in China since Huawei CFO's arrest
Reuters-Canada says 13 citizens detained in China since Huawei CFO arrest

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *