Início » Economia » Eleição no Canadá pode atrasar construção de oleoduto
MEIO AMBIENTE

Eleição no Canadá pode atrasar construção de oleoduto

Uma nova coalizão de esquerda pode atrasar a construção de um oleoduto criticado por ambientalistas e povos indígenas no Canadá

Eleição no Canadá pode atrasar construção de oleoduto
o primeiro-ministro Trudeau mantém-se firme em sua decisão de construir o oleoduto (Foto: JBA)

Em razão de sua evolução histórica, social e cultural, o Canadá é um país multicultural, que se caracteriza por seu espírito de moderação e tolerância. O governo federal procura conciliar as diferentes ideologias, culturas e línguas das dez províncias com as diretrizes governamentais. Mas, com a derrota do Partido Liberal nas eleições legislativas na Colúmbia Britânica em 29 de junho, alguns projetos do governo federal podem enfrentar a oposição de uma coalizão de esquerda vitoriosa.

O primeiro-ministro, o liberal Justin Trudeau, como parte do compromisso do Canadá com o Acordo de Paris, quer que as províncias criem impostos sobre as emissões de carbono. Em troca do acordo dos premiers provinciais, Trudeau aprovou três grandes projetos no setor de energia, entre os quais um oleoduto para transportar petróleo das areias betuminosas da província de Alberta para a Colúmbia Britânica, na costa do Pacífico. Ao triplicar as exportações para o exterior, o governo pretende reduzir a dependência econômica do Canadá com os Estados Unidos.

A derrota do Partido Liberal nas eleições legislativas não significa uma sentença de morte para o oleoduto. O projeto é uma iniciativa do governo federal e o primeiro-ministro Trudeau mantém-se firme em sua decisão de construí-lo. Porém, se o governo provincial da Colúmbia Britânica atrasar ainda mais o cronograma de execução, já prejudicado por problemas regulatórios, o primeiro-ministro Trudeau pode perder o apoio importante dos conservadores para o projeto. Em 9 de maio, os liberais, liderados por Christy Clark, venceram sua quinta eleição consecutiva na Colúmbia Britânica, com a conquista de 43 das 87 cadeiras no parlamento provincial. No entanto, perderam quatro assentos e não conseguiram a maioria parlamentar. Embora os eleitores da região rural tenham permanecido leais aos liberais, os eleitores de Vancouver, que representam cerca de metade da população da Colúmbia Britânica, elegeram deputados do Novo Partido Democrático (NPD), o principal partido de oposição do governo, e do Partido Verde, que se opõem à construção do oleoduto por razões ambientais.

Fontes:
The Economist-Turmoil in British Columbia could endanger a Canadian climate pact

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *