Início » Internacional » Candidato à presidência do Equador ameaça tirar asilo de Assange
ELEIÇÕES DO EQUADOR

Candidato à presidência do Equador ameaça tirar asilo de Assange

Candidato da oposição à presidência do Equador diz que o custo para manter o asilo a Assange já não se justifica

Candidato à presidência do Equador ameaça tirar asilo de Assange
Assange mora há quatro anos e meio na embaixada do Equador em Londres (Foto: Wikipedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em uma entrevista ao jornal britânico Guardian, o candidato à presidência do Equador, Guillermo Lasso, disse que, caso ele ganhe a eleição, o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, terá um prazo de 30 dias para se mudar da embaixada do país em Londres, onde mora há quatro anos e meio.

O candidato do partido de direita Creo-Suma disse que já é hora de Assange deixar a embaixada, já que o asilo custa caro e, segundo ele, já não é mais justificado. “O povo do Equador vem pagando um custo que já não deveria ter que aturar. Nós pediremos cordialmente que o senhor Assange se retire dentro de 30 dias depois da posse do mandato”, disse ele.

A possibilidade ainda é distante. Embora venha ganhando força, na pesquisa mais recente, Lasso está sete pontos percentuais atrás do candidato governista, Lenín Moreno. Mesmo assim, ainda que não haja troca de poder em Quito, são grandes as chances de que Assange se mude da embaixada, localizada no bairro londrino de Knightsbridge.

Apesar de o governo atual ter mantido sua posição de solidariedade, todos os envolvidos estão cada vez mais frustrados com a situação, que o diplomata equatoriano Guillaume Long descreve como uma situação tirada de “um livro de John le Carré”, escritor britânico especializado em livros de espionagem. “Está é, provavelmente, a embaixada mais vigiada do planeta”, disse o diplomata, citando também o custo humano do asilo, dizendo que os funcionários passam por situações de provação.

A polícia e a inteligência britânica vêm mantendo a embaixada do Equador sob vigilância constante desde que o país cedeu asilo para Assange, em junho de 2012, para prevenir a sua extradição para a Suécia para interrogatório sobre uma acusação de assédio sexual. Desde então, Assange não deixou o prédio. As eleições presidenciais no Equador acontecem no dia 19 de fevereiro.

Fontes:
The Guardian-Ecuador presidential hopeful promises to evict Julian Assange from embassy

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Beraldo disse:

    “Extradição para a Suécia, para interrogatório sobre uma acusação de assédio sexual.”

    Então tá!

    Eita!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *