Início » Economia » Casal Clinton é acusado de favorecer interesses de doadores
Política Americana

Casal Clinton é acusado de favorecer interesses de doadores

A Fundação Clinton recebeu doações de pessoas que tinham interesse na Rússia assumir o controle de uma empresa de urânio canadense

Casal Clinton é acusado de favorecer interesses de doadores
Hillary Clinton era a secretária de Estado durante as transições envolvendo a Uranium One (Reprodução/Internet)

O jornal New York Times divulgou informações que associam a compra da Uranium One, companhia canadense que tem interesses na mineração de urânio na Ásia Central até o oeste americano, pela agência nuclear russa (Rosatom) com doações feitas para a Fundação Clinton, entidade filantrópica da família Clinton criada em 2001.

Os russos assumiram o controle da Uranium One por três diferentes transações que ocorreram entre 2009 e 2013. O acordo tornou a Rosatom uma das maiores produtoras de urânio no mundo e deu à Rússia o controle de um quinto de toda a capacidade de produção dos Estados Unidos.

Pelo urânio ser considerado um negócio estratégico, com implicações na segurança nacional, o acordo teve que ser aprovado por um comitê formado por representantes de várias agências do governo americano. Entre os órgãos do governo que analisaram as transações está o Departamento de Estado, que era chefiado por Hillary Clinton, hoje pré-candidata à presidência dos Estados Unidos.

Documentos canadenses revelaram que o presidente da Uranium One usou a fundação da sua família para fazer quatro doações, em um total de U$ 2.35 milhões, para a Fundação Clinton. Essas contribuições não foram divulgadas pela entidade filantrópica, apesar de Hillary Clinton ter feito um acordo com a Casa Branca que previa a identificação pública de todos os doadores durante seu período à frente da diplomacia norte-americana. Outros líderes da companhia canadense também fizeram doações à fundação.

Os discursos de Bill Clinton feitos no exterior enquanto Hillary Clinton era secretária de Estado também são alvos de acusação. Logo após a Rússia ter anunciado sua intenção de assumir o controle da Uranium One, o ex-presidente americano, Bill Clinton, recebeu U$500 mil de um banco de investimentos russo por um discurso em Moscou.

Em resposta às acusações, Brian Fallon, porta-voz da campanha presidencial de Hillary Clinton afirmou que não existem provas que suportem a teoria que a candidata, enquanto secretária de Estado, teria defendido os interesses de doadores da Fundação Clinton. “Sugerir que o Departamento de Estado teve influência na análise do governo dos Estados Unidos sobre a venda da Uranium One é uma acusação completamente infundada”, finalizou Fallon.

 

 

 

Fontes:
New York Times-Cash Flowed to Clinton Foundation as Russians Pressed for Control of Uranium Company

1 Opinião

  1. Roberto1776 disse:

    É a esquerda americana seguindo os exemplos do patê (ou o contrário).
    Eles se entendem, quando se trata de interesses de “estado”.
    A petrossauro confirma isso com o seu belíssimo balanço atrasado.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *