Início » Internacional » Caso Cesare Battisti: Afinal, crime político ou assassinato?
Tendências e Debates

Caso Cesare Battisti: Afinal, crime político ou assassinato?

Por Fabíola Leoni

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O italiano Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua em seu país de origem, na década de 1970. Quando pertenceu ao Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), grupo de extrema esquerda que praticava atos terroristas, cometeu quatro assassinatos. Foi preso no Rio de Janeiro, em 2007 (ironia para críticos que avaliam o Brasil como um “bom” refúgio para criminosos?). O ministro da Justiça brasileiro, Tarso Genro, no último dia 13 de janeiro, autorizou que Battisti fosse considerado refugiado político. Foi quando gritos dos dois lados ecoaram cada vez mais alto, estremecendo, até mesmo, as relações entre a Itália e o Brasil.

Ministros italianos avaliaram como “vergonhosa” a atitude do governo brasileiro de considerar crime político a atitude de Cesare Battisti. Segundo eles, nada justifica um assassinato. Já no dia seguinte ao anúncio de asilo político por Tarso Genro, o Ministério de Relações Exteriores da Itália fez um apelo ao presidente Lula, deixando clara sua contrariedade com a decisão do Brasil.

Já Lula, na quarta-feira, 28, garantiu que o caso já está encerrado. Na última sexta, por meio de carta ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, ele havia defendido o refúgio político ao ex-terrorista, esclarecendo que “a concessão da condição de refugiado ao senhor Battisti representa um ato de soberania do Estado brasileiro”. E Genro havia dito que as alegações de Battisti de perseguição política eram válidas.

A Itália segue tentando pressionar para que a decisão do ministro Tarso Genro seja revista. O pedido de apoio chegou, nesta quinta-feira, 29, à União Européia, que declarou que não tem base legal para intervir. No meio do caminho, o governo italiano decidiu convocar o embaixador do país no Brasil, Michel Valensise, para consultas. Além disso, defendeu o boicote turístico ao Brasil. Houve até mesmo solicitações para que o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, intercedesse no caso, uma vez que, segundo o chefe da oposição, o ex-prefeito de Roma Walter Veltroni, foi um “absurdo conceder o status de refugiado a um homem que assassinou um joalheiro e outras três pessoas”.

A realização de um amistoso entre as seleções de futebol dos dois países foi colocada em questão, mas, posteriormente, confirmada pelo subsecretário da presidência do Conselho de Ministros da Itália, Rocco Crimi. O cancelamento do jogo havia sido sugerido por Mantica, como forma de protesto pela decisão do procurador-geral da República do Brasil, Antonio Fernando de Souza, que recomendou ao Superior Tribunal Federal (STF) o arquivamento do pedido de extradição de Battisti.

Até mesmo o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a primeira-dama, Carla Bruni, foram acusados pelo subsecretário de Relações Exteriores da Itália, Alfredo Mantica, de pressionar o Brasil a conceder asilo político ao ex-terrorista. Carla Bruni, em entrevista à emissora RAI, negou o fato veementemente, classificando as declarações como calúnia.

GoogleO advogado do ex-ativista, Luiz Eduardo Greenhalgh, afirmou que considera um “constrangimento” o cliente continuar preso após a concessão do refúgio. Cesare Battisti se encontra em uma penitenciária do Distrito Federal. A Corte pode decidir sobre sua libertação na próxima segunda-feira, 2, quando o Judiciário reabre seus trabalhos após recesso.

Observa-se que Battisti não corresponde aos direitos do estatuto de refugiado político e a decisão do ministro da Justiça foi contra a recomendação do conselho especializado no assunto. Além disso, já cumprira pena por roubo, em 1974.

A mídia embarcou na polêmica. A revista Economist, por exemplo, considerou anacrônica a declaração de Genro de que o Brasil tem uma tradição de abrigar exilados políticos, uma vez que a revista afirma que a democracia agora é regra nas Américas. A Economist considera que alguns membros do PT — que já foram militantes de extrema-esquerda na década de 1970 — nutrem um sentimento de solidariedade a pessoas como Battisti. Por outro lado, na internet surgem correntes de apoio ao ex-ativista, como o site Cesarelivre.org. E até mesmo a associação italiana Antigone, que luta pelos direitos e garantias no sistema penal, declarou apoiar a decisão do governo brasileiro de conceder refúgio político ao ex-militante.

De acordo com entendimento majoritário, considera-se político todo crime que lesione ou ameace lesionar a estrutura política vigente em um país. Não se pode esquecer que Tarso Genro, em meados do ano passado, afirmou que os atos de tortura cometidos durante o período da ditadura militar no Brasil não se classificavam como crimes políticos e deveriam ser punidos com todo rigor do Código Penal Brasileiro. Segundo ele, os agentes públicos que os cometeram são torturadores e não deveriam ter qualquer privilégio. E agora Genro defende Battisti. Afinal, em que cenário o ex-terrorista (ou ex-ativista, como preferem alguns) se enquadra?

Caro leitor,
Como você avalia a atitude do governo brasileiro de conceder refúgio político a Cesare Battisti?
A Itália reagiu corretamente? Se não, de que forma deveria ter contestado a decisão brasileira?
E voltamos ao título: Afinal, crime político ou assassinato?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

36 Opiniões

  1. Hugo disse:

    O que vem acontecendo na Itália há alguns anos é um processo de expurgo político movido pela direita contra a militância de esquerda dos anos 70. Isto é fato. A partir daí, pode-se concordar ou não com a atitude do governo brasileiro de não colaborar com isto. A grande questão não é em relação a Battisti, mas sim quanto à legitimidade ou não da luta civil armada. Nâo em relação a hoje em dia, que atualmente isto é totalmente desqualificado, mas sim em relação ao contexto no qual se insere. Mesmo assim, mesmo aceitando a justificativa de Battosti de que "a Itália vivia uma guerra civil", o assassinato de pessoas não pode, e não deve ser avalizado a priori.

  2. Markut disse:

    Estamos aí pondo em xeque até as decisões ,já em julgado, da própria justiça italiana, o que representa uma imperdoavel e indevida intromissão.
    2)A polêmica decisão do Tarso Genro, não é um pouco contraditória, na ação e na presteza ,quando
    nos reportamos ao caso
    dos dois atletas cubanos?
    3) O viés de defesa e complacência com "companheiros" da esquerda combatente?
    4) O discutivel interesse em fazer média com os "companheiros" Castro, Chavez e Cia ltda.?
    5)O que está tendo mais força:
    A postura façanhuda e ultrapassada da esquerda virulenta, dentro do próprio PT?
    Ou a atitude mais diplomaticamente defensavel e mais consentânea com o comportamento civilizado do Brasil,perante as outras nações?
    6)A aparente tibieza nas decisões do Poder Judiciário a esse respeito não são preocupantes ?

  3. Salim Levi disse:

    Faço minhas as palavras de Almir Pazzianotto Pinto, publicadas no Correio Braziliense.
    "Qualquer que seja o perfil ideológico de quem analisa o caso, Cesare Battisti, matador de cidadãos de bem, não se encaixa na estreita moldura do criminoso político. (…) O Brasil é famoso pela impunidade. Réus confessos e condenados transitam pelas ruas, aterrorizando a população indefesa. Espero que ao governo não ocorra a idéia de garantir a liberdade de criminosos que nos procuram para se ocultar, como fez Cesare Battisti. Criminosos? Bastam os nossos."
    Ainda sobre o caso recomendo ler o Link a seguir
    http://www.migalhas.com.br/mostra_noticia_articuladas.aspx?cod=77218

  4. Fabio Leonel disse:

    de Seropédica, RJ.
    O criminoso foi condenado por assassinato. Isso numa democracia, não é um país onde o governo pratique perseguições políticas. É claro que devíamos mandá-lo de volta para lá.

    Quanto aos dois boxeadores cubanos, é vergonhoso, lamentável, o que o PT fez. Demonstram não ter noção do que é respeito à lei e democracia.

  5. Mauricio disse:

    Se tivesse feito o que fez aqui, teria sido condenado.
    Acho que deve ser mandado de volta pra casa e lá que decidam o futuro dele, de acordo com as leis do país onde os crimes foram cometidos (ou não).

    Boa matéria, mais uma vez.

  6. ricardo penachi de camargo disse:

    Eu não tenho carga informativa para sequer tomar partido. Contudo o óbvio é que como esquerdista ativista rebelde que possa ter sido, assinala uma profunda semelhança com o passado da cúpula do atual governo brasileiro. Hoje temos ministro e parlamentar que participaram de sequestros e sabe-se lá mais o quê.
    E de qualquer forma pode ter havido no passado algum tipo de colaboração mutua, afinal toda a movimentação “”subversiva”” se deu em âmbito mundial… talvez daí a simpatia e a acolhida.
    De fato, vejo como uma interferência na soberania da justiça italiana, tendo o caso dos atletas cubanos como contraponto vergonhoso. Nós vamos engolir exatamente o que permitirmos. Eu, mandaria o cara pra seu país. Eu não gosto da grande maioria de nossos atuais governantes, esses retoricofalaciofingidores…

  7. Fábio disse:

    Novamente, mais um absurdo, coisa natural no Brasil, infelizmente, se pudesse falar com o presidente da República eu falaria:
    "Sr presidente Lula, acho que a boa relação manda não intervir na casa dos outros, não se meta na casa dos outros, não se meta com filhos dos outros, este cara é italiano, e a Italia esta pedindo ele, um País democratico, um País que tem responsabilidades pelos direitos humanos, sua obrigação é cuidar dos Brasileiros, e devolver aos Italianos o que é deles. Se ele fosse um brasileiro, tudo bem, mas não é, como presidente deste País espero que sua obrigação seja cuidar dos brasileiros, que passam por muitas dificuldades, acredito que temos uma vida mais dificil do que os Italianos, não se meta na vida alheia, este Battisti é problema da Italia e não do Brasil."
    Com certeza se trata de um assassino, e acredito que este problema não é nosso, se ele tivesse matado alguma pessoa influente da corja destes políticos brasileiro e dessem asilo politico para ele em outro país como agiríamos? Com revolta, portanto, quem autorizou este absurdo tem que se colocar no lugar das pessoas que perderam familiares, e devolver este assassino para a Itália, para que a justiça seja feita.

    Abraços

  8. Milton Guimaraes disse:

    O interessante em tudo isso, é que o "crime" da Direita prescreve, aqui temos caso de um coronel, assassino confesso, torturador, não chegou nem a ser ouvido. Afirmaram logo que era perseguição, ele fora anistiado e mais estava "defendendo a "Democracia"avalie. Os que perseguem o Cesare Battisti são os "fascistas italianos" e alguns amigos da CIA aqui no Brasil.

  9. Ishac Ibrahim Levy disse:

    Concordo com o Sr Almir Pazianotto Pinto no seu comentario no correio brasilense e que o Sr Salim Levi mencionou. Assino abaixo do texto que o Sr Salim declarou e acho que isso e” a opiniao da maioria absoluta dos brasileiros

  10. WELLER MARCOS disse:

    O senhor Markut escreveu:"A postura façanhuda e ultrapassada da esquerda virulenta, dentro do próprio PT?". No Brasil a Direita oportunista está querendo partir para a provocação, baderna e confronto – como fez em 64 com a famigerada "Marcha com Deus pela Família". Moralista por conveniência, quer desmoralizar a figura do Presidente Lula de qualquer maneira! Todo comentário da Direita vem sempre temperado com a pimenta da banalização.Ora bolas, os conservadores reacionários já governaram até além do que pretendiam após o golpe que deram na derrubada de Goulart, e com a política entreguista dos governos ilegítimos que fizeram. Exilaram,prenderam e mataram; superfaturam as poucas obras, e ainda quebraram as empresas nacionais. A "esquerda ultrapassada" está ai mostrando que o Banco do Brasil é viável, a Petrobras cresce além da nossa mais otimista expectativa, a saúde pública acumula recordes de eficiência, a educação está em patamares jamais atingidos. Então, ultrapassados são os que teimam em mostrar para o próprio povo brasileiro que o presidente Lula é responsável por tudo quanto os verdadeiros ultrapassados consideram como caos e problema para o Páis. Em tempo: Não venha dizer que sou petista assanhado; jamais tive filiação junto a este Partido.

  11. Evandro Correia disse:

    O Sr. Weller deve estar falando de algum país rico onde ele talvez more. Será a Suécia? Alemanha? "…a saúde pública acumula recordes de eficiência, a educação está em patamares jamais atingidos". Ou será o Japão, o país do qual ele fala? O Brasil onde os analfabetos continuam morrendo da fila do INPS não é o lugar do qual ele fala.

  12. WELLER MARCOS disse:

    Não senhor Evandro,
    Eu não estou vivendo em qualquer outro país que não seja o nosso Brasil. É que aprendi uma coisa ao longo da vida: AMAR a minha pátria, engrandecê-la e prestigiá-la! Amo tanto o Brasil que às vezes me pego recitando a poesia de Gonçalves Dias; rindo com o Menino Maluquinho – do Ziraldo – com saudades da Turma do Pererê, do mesmo autor; amo a voz Maria Bethânia, Chico Buarque; tenho saudades de Sérgio Porto, do Vinicius de Morais, do Mazaroppi; admiro a pintura do Di Cavalcante e do Candinho Portinari! É amor demais, é gostar muito da terra onde nasci, onde me criei, onde até sofri nos longos anos da Ditadura! Mas, estou de pé, com os olhos abertos, olhando o horizonte e sonhando: escalar quantas vezes puder o Pão de Açucar, a Serra de Teresópolis! Meu prazer é ver o mar balançando pra lá e pra cá em Camboinhas – Niterói; comer pão de queijo e pamonha com os goianos; pescar no Rio Cuiabá; Ler e reler Jorge Amado; juntar livros da literatura de cordel do Nordeste e tomar chimarrão com a gauchada até a barriga estufar. Que Beleza! Essa é a minha Suécia, o meu Japão, a minha Alemanha.
    A pobreza de que você fala é culpa da péssima redistribuição da renda nacional; da perversa divisão dos meios de produção (concentrada sempre nas mãos dos ricos), da riqueza nacional espoliada; da falta de terra para a agricultura dos camponeses e a família, servindo apenas ao latifúndio improdutivo; e o lucro excessivo dos bancos, e dos ricos, e dos poderosos. É fruto da imprensa venal,mentirosa, alienante e desclassificada; da Justiça lerda, viciada e corrupta – produtos da elite de que você fala, e que vive elogiando as permanentes turnês e negócios que fazem nos países capitalistas da Europa, no Japão e principalmente nos Estados Unidos. Não me queira mal por ser um compatriota que não comungue as mesmas idéias e ideais. Apenas, luto para levantar ao alto a estima do povo brasileiro!

  13. Evandro Correia disse:

    Bonito o discurso do Sr. Weller. Mas ele fugiu do assunto dos sistemas de saúde e de educação maravilhosos de que tinha falado antes. Fazer patriotada barata é fácil, já argumentar nem tanto…

  14. batista disse:

    Atos terrorista e assalto a bancos não traumatizam aqueles civis e funcionarios das agencias bancarias que foram diretamente atingidos por tais atos.Ficar refem e na mira de armas de diversos calibres não traumatizam?São Paulo rfem em 2006 não foi ato terrorista, tivesse ocorrido nos E.U. os autores já estariam numa Guantanamo.A segurança da população em primeiro lugar, não precisamos importar problemas, já temos o suficiente.

  15. Sandra Domingues disse:

    O Brasil, país da Impunidade, não dá conta nem dos seus assassinos…e agora vai querer proteger um assassino Estrangeiro ?
    Crime político nada…responsáveis por assassinato tem que ter uma única definição " Assassino "

  16. barbara disse:

    Deveriam devolver ele para Itália e ser julgado la, acredito que nós ja temos o suficientes de presos nas penitenciarias.

  17. Acyr de Oliveira disse:

    É óbvio que o governo do PT aproveita-se da arrecadação para comprar apoio dos congressistas e dos que acreditam no seu assistencialismo eleitoreiro.E para continuar no poder após 2010 usa propaganda,factóides e chavões de esquerda para desviar a atenção e conhecimento do povo subletrado.Isso pode render votos.Principalmente se o povo cair nessa história de que "está em jogo a soberania nacional" e não o jogo duplo oportunista de punir desafetos e beneficiar antigos companheiros de militância.Lula já percebeu que é melhor tirar o corpo fora e passar a bola para os cumpanhero que fazem traições e manobras alopradas das quais ele " nada sabia" e porisso não tem culpa…

  18. Antonio Campos Monteiro Neto disse:

    Infelizmente nosso molusco presidente não sabe e nem sequer pressente a diferença entre refúgio e asilo: o requisito para o preenchimento da condição de refúgiado dá-se em função de perseguição a uma comunidade inteira, seja ela de ordem étnica, religiosa ou ideológica, por motivo da qual infere-se ameaça a vida do solicitante e seu pares, se permanecerem no país de origem. Já o asilo dá-se por motivo de presumida perseguição individual.

    Concedendo a Battisti a condição de refugiado, nosso Governo presume estar havendo, na Itália, ameaça de extermínio contra a "comunidade" dos ex-militantes da esquerda, o que decididamente não é verdade.

    Outro princípio não observado é o da prevalência do crime comum sobre o político: Battisti foi condenado por crime comum de assassinato antes de o ser por motivo alegadamente político.

    Com essa trapalhada, o Brasil viola o Tratado sobre refugiados de 1952, do qual é signatário.

    O governo italiano tem toda razão de estar indignado.

  19. EDVALDOTAVARES disse:

    ALGUMAS PERGUNTAS ESPERANDO RESPOSTAS PARA O ENTENDIMENTO DO CASO. 1- A Itália quer a devolução de Battisti por crime político ou puro assassinato? 2- Tarso Genro deveria considerá-lo refugiado ou asilado político ou nenhum dos dois? 3- A reação da Itália deveria ser em esclarecer que Battisti não é refugiado e nem asilado e sim criminoso comum? 4- O anúncio feito por Tarso Genro foi de que Battisti é refugiado ou asilado político? 5- Lula está certo ao declarar que o refúgio político concedido à Battisti representa um ato de soberania ao Estado Brasileiro? 6- Somente as alegações de Battisti de que sofre perseguição política para Genro são válidas? 7- Battisti não corresponde aos direitos do estatuto de refugiado político e a decisão de Genro foi contra a recomendação do conselho especializado no assunto, então o STF deve negar a condição de refugiado por não ser pertinente? 8- A declaração de Genro quer dizer que o Brasil tem tradição de abrigar refugiado ou asilado político ou os dois? 9- A solicitação da Itália se faz por que Battisti cometeu lesão ou ameaça de lesão à estrutura política vigente no país? 10- Por que Genro afirmou que os atos de tortura cometidos durante o período da ditadura militar no Brasil não se classificavam como crimes políticos e deveriam ser punidos com todo rigor do Código Penal Brasileiro? 11- Por que Tarso considera que os agentes públicos que cometeram tortura não deveriam ter qualquer privilégio e o concede a Cesare Battisti? 12- Há algum tipo perseguição que vise o extermínio da comunidade de ex-militantes esquerdistas na Itália que possa ameaçar a vida de Battisti? 13- Battisti sofre algum tipo de perseguição política que possa merecer asilo ou é apenas um criminoso comum que precisa prestar contas a justiça italiana? 14- Os dois boxeadores cubanos que desertaram da sua delegação no panamericano no Rio de Janeiro em 2007 e que em 48 horas foram devolvidos para Cuba não tiveram direito ao asilo político, a deserção foi crime mais grave do que o de Battisti? Estas perguntas tiveram por base os esclarecimentos do opinante Antonio Campos. BRASIL ACIMA DE TUDO! SELVA! EDVALDOTAVARES. MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

  20. Anselmo Moreno do Carmo disse:

    O Brasil tem que entregar imediatamente ao governo Italiano, um criminoso é um criminoso, não importa. o Brasil tem problemas muito mais importante: milhares de traficantes, e meninos matriculados no Mundo do crime. sem renda e família.

  21. Stefan Zakowski disse:

    O Brasil precisa parar de defender pessoas criminosas de qualquer natureza.

    É por isso aque o Brasil está como está cheio de problemas com crimes o qual as autoridades nunca resolveram e parece que não tem interesse de resolver porque ainda não atacaram eles.

    O dia que os bandidos começarem a atacar autoridades ahi talvez eles irão tomar algumas providencias, mas os bandidos sabem disso por isso que eles não fazemn nada contra nossas autoridades.

    EH LAMENTAVEL!!!!

  22. kão disse:

    Que falta faz ao Brasil, neste momento um parlamentarismo dinâmico.
    Este era o momento de perguntar a TODA a sociedade brasileira se é lícito oferecer abrigo (não é asilo político, é acobertamento mesmo…) a um criminoso.
    Este nosso presidente não é do Brasil, é das arábias. E nosso ministro da injustiça é de brincadeira!
    Cara, acho que o aparato policial do Brasil é tão eficiente que já estamos importando bandidos para não desempregar policiais, ministros da injustiça e outras classes que vivem e ganham seu salário com o crime alheio.
    Eita, país bão, sô!!!
    Abraço

  23. kão disse:

    Depois que escrevi meu comentário, fui ler os comentários alheios, postados abaixo.
    Cheguei a uma estarrecedora conclusão: tem gente que nunca aprende, que não quer viver a realidade e prefere se refugiar (aí, sim, é refúgio…) nos sonhos.
    E quer que a sociedade não só partilhe como participe, como coadjuvante, das maluqueiras que sonha!
    Acorde, meu amigo!
    Abra seus olhos e veja a m**** que alcança já o pescoço do povo!
    Sinta o cheiro ruim de carniça que vem da sede. Tome uma dose de "Vida Atual do Povo Brasileiro", medicamento eficaz contra seu mal.
    Mas, cuidado, procure o medicamento original, recuse imitações: povo brasileiro é a massa, o que trabalha para comer e come mal. Nada de políticos nem de banqueiros.
    Abraço

  24. Escritor Francisco Marques (Zap) disse:

    A principío, sou contra a decisão brasileira de dar asílo político a certos estrangeiros, oas quais não sabemos definir se foram ativistas ou simplesmente terrotistas. Para uma decisão mais consciente seria preciso saber em que condições Battisti cometeu esses crimes.

  25. Luiz Lage disse:

    Acho que a pior parte do governo Lula é esse alinhamento incondicional à esquerda internacional submetendo o interesse nacional a Chavez, Castro, morales dentre outros.
    Por isso correram pra conceder asilo pra esse italiano, só por ser da luta operária, mas que é um assassino.

  26. Abigail de Souza disse:

    Não concordo, esse homem saiu da França assim que o partido de esquerda saiu do poder. Ou seja, só ex-ativistas-pseudomarxista-extremistas dariam abrigo a um homem desses. mas aqui no Brasil, qualquer pé rapado ou bandido estrangeiro é recebido com honras e status de refugiado, isso é uma imoralidade, uma vergonha!
    Quanto a reação da Itália foi inteiramente descabida. Por que não deram um pio enquanto ele estava na França? por que só respeitam a decisão e a soberania de países ricos?
    Espero que o STF despache esse pilantra para onde ele nunca devia ter fugido

  27. Marcos Ro0berto Gold disse:

    Independente das opiniões e leis dos respectivos países, Brasil e Itália, em 1989, assinaram tratado de extradição. Este tratado prevê casos de negativa de extradição como, por exemplo, o de Cachiolla, que deu golpe de mais de 1 bilhão no Brasil e fugiu para a Itália e a Itália se negou a entregá-lo, porque é cidadão italiano (artigo 6º do tratado). Já a posição do governo brasileiro se baseou no art. 3º do mesmo tratado. Tal tratado tem se revelado eficiente. Haja vista das extradições de mafiosos importantes entregues pelo Brasil à Itália. O que falta por parte dos países considerados ricos e mesmo por parte de parcela da população brasileira é respeito pela soberania de nosso País e nosso poder de cumprir nossas Leis e nossos tratados, mesmo que fira sentimentos alheios.

  28. heloisa disse:

    A questão grave não foi de conteúdo mas de forma. Respeitando a nossa soberania poderíamos também ter respeitado a justiça italiana e evitar comentários desabonadores do processo. Pessoalmente considero que assassinato e tortura não se justificam nas ações políticas em tempos de paz.

  29. Camila disse:

    No meu entendimento, crime politico se caracteriza por atos cometidos em oposição a politica vigente em um país, mas não sabia que nestes podiam se enquadrar assassinato, pois no caso de Battisti, ele foi julgado por crime politico E assassinato. No entanto, vejo q os politicos brasileiros com toda sua compaixão e solidariedade a esse criminoso, esqueceram a parte do assassinato, e irão abriga-lo em nosso país, livrando-o de pagar sua tão merecida pena em seu país de origem. Os italianos estão certissimos de não aceitar esse absurso. Agora todo criminoso vai querer se refugiar no Brasil.

  30. Marco Antônio de Oliveira Vilela disse:

    Este tal de Battisti deve ser extraditado sim!!!

    Homicídio jamais será um crime político!!!

    Abraços e fiquem com Deus…

  31. Alvaro disse:

    Assasinato, claro!!!
    Crime político é outra coisa.
    Entendo que este tal de Battisti deva ser imediatamente extraditado para fora do Brasil.
    Quanto a reação do governo italiano é descabida, eles que cuidem de liquidar a máfia e outros bandidos que existem lá. Italianoo gosta muito de fazer escandalos, porém quando têm que tomar alguma providência concreta se omitem.
    Alvaro

  32. Marcelo Sommer disse:

    Um termo jurídico resume tudo: COISA JULGADA. Já há condenacao! O devido processo legal está concluido, falta cumprir a pena! O STF poderá negar isto? Se o processo ainda estivesse na fase de instrucao, vá lá falar de provas. Mas agora é tarde. Uma pergunta que nao cala: porque este senhor nao se defendeu? Preferiu a revelia. Deve assumir suas omissoes no processo. Que se apresente na Italia como manda a lei e contrate um advogado para discutir as supostas injusticas. O Poder Judiciário brasileiro está sob a lupa! É um momento importante para se aquilatar quanto os magistrados prezam sua própria palavra, traduzida em ato de Estado! Isso refletirá na confianca dos jurisdicionados.

  33. luiz disse:

    No governo Lula, assassino é promovido a perseguido político. Já ouví dizer que estão querendo trazer para o Brasil alguns terrorista de Guantanamo. É a revolução comunista se instalando no Brasil.

  34. Bruno disse:

    Outro dia vi uma matéria falando de um jovem africano que chegou ao Brasil escondido em um navio, ele quer tentar uma vida melhor, sonha em ser jogador de futebol. Adivinhem o que vai acontecer a ele? Vai ser deportado de volta a seu país de origem.
    E o italiano assassino vem recebendo apoio do nosso governo.
    No Brasil é assim, só quem é assassino, vagabundo, corrupto, pedófilo etc… é que tem apoio.
    Eta paisinho de m…!!!

  35. Mára Weber disse:

    Deve ser deportado SIM. Ja temos bandidos e mafiosos demais no governo Lula para sustentarmos mais um. Está na hora dos cara-pintadas começar a se mexer e tentar mostrar que este pais vale a pena e que so se quer honestidade e ética no governo. chega de ladroes e espurias da sociedade comandando um pais lindo como o Brasil

  36. aldacy rodrigues costa disse:

    eu acho que ele é um criminoso julgado no deu pais por juizes sérios como os nossos e acho que a lei do refugiado não deve servir para abrigar criminosos ediondos.O ex presidente Lula não respeitou o governo italiano e nem a dor do povo italiano!verrgonhoso!!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *