Início » Vida » Ciência » Casos de demência podem dobrar nos próximos 20 anos
Saúde

Casos de demência podem dobrar nos próximos 20 anos

Segundo relatório, mais de 46,8 milhões de pessoas sofrem de demência no mundo e o número pode dobrar nas próximas duas décadas

Segundo um relatório, divulgado nesta terça-feira, 25, mais de 46,8 milhões de pessoas sofrem de demência no mundo e este número pode dobrar nos próximos 20 anos. A informação é do Relatório Mundial de Alzheimer, publicado pela federação Alzheimer’s Disease International e a universidade King’s College London.

Leia mais: Pesquisa revela que a demência está se desenvolvendo em pessoas mais jovens

O estudo revelou que o número de pessoas afetadas por demência tem aumentado rapidamente, em relação aos 35 milhões de casos estimados em 2009. A demência é um termo geral para síndromes degenerativas do cérebro que afetam as funções cognitivas. O Mal de Alzheimer, por exemplo, é uma das causas mais comuns deste quadro.

Segundo o relatório, 58% de todas as pessoas com demência vivem em países em desenvolvimento. De acordo com as estimativas, 68% das pessoas com demência estarão concentradas em países de baixa e média renda em 2050. Isso porque essas nações têm serviços de saúde limitados e as populações estão envelhecendo rapidamente.

Além disso, os especialistas alertaram para outra estimativa, a do custo do tratamento. Por isso, eles convocaram os governos a adotarem uma legislação capaz de garantir melhor tratamento às pessoas com a doença, já que não há cura conhecida para a demência.

O relatório recomenda, inclusive, que o grupo G20 discuta o assunto, com base nos compromissos assumidos pelo G7. Hoje, 80% das pessoas que vivem com demência estão em países do G20, sendo apenas 28% do G7.

Fontes:
O Globo-Quase 47 milhões de pessoas sofrem de demência ao redor do mundo, segundo estudo

1 Opinião

  1. Anselmo Heidrich disse:

    80% no G-20? Ah tá! Agora ficou claro porque alguns presidentes deste grupo parecem sofrer desta patologia, sobretudo quando discursam…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *