Início » Internacional » Após afastamento, CEO da Uber renuncia
SEGUNDO JORNAL

Após afastamento, CEO da Uber renuncia

Cinco dos principais investidores da empresa exigiram a demissão imediata de Travis Kalanick

Após afastamento, CEO da Uber renuncia
Travis Kalanick havia anunciado seu afastamento da empresa há uma semana (Fonte: Reprodução/Getty Images)

O executivo-chefe da Uber, Travis Kalanick, renunciou nesta quarta-feira, 21, ao cargo por pressão dos acionistas. A informação foi divulgada pelo jornal The New York Times.

Leia também: Vice-presidente da Uber pede demissão

O jornal afirma que cinco dos principais investidores da empresa exigiram, por meio de uma carta, nesta terça-feira, 20, a demissão imediata de Travis Kalanick.

A carta, institulada “Moving Uber Forward”, foi dirigida ao próprio CEO, que foi instado a abandonar imediatamente o cargo, uma vez que a empresa precisa de uma nova liderança.

Ainda de acordo com o NYTimes, após longas discussões com investidores, Travis Kalanick decidiu pela renúncia. O agora ex-CEO continua, no entanto, no conselho de administração da empresa.

Em comunicado, Kalanick afirmou: “Amo a Uber mais do que qualquer outra coisa no mundo, e neste momento difícil da minha vida pessoal decidi aceitar o pedido dos investidores para me afastar para que a Uber possa se desenvolver em vez de se envolver em outra luta”.

O conselho de administração da Uber também divulgou um comunicado afirmando que Kalanick sempre colocou a empresa “em primeiro lugar”.

A notícia da renúncia do CEO surge uma semana após Travis Kalanick ter anunciado seu afastamento da empresa, na sequência de uma série de escândalos de assédio, discriminação e cultura agressiva, envolvendo o próprio CEO e também outros gestores.

Fontes:
Jornal de Negócios - Kalanick demite-se do cargo de CEO da Uber

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Markut disse:

    Se da humana índole se trata, “sempre haverá mais coisas do que a nossa vã filosofia possa imaginar”.
    Assim, já pensava Shakespeare.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *