Início » Internacional » Cessar-fogo começa com quase 150 mortos na Síria
Confrontos violentos

Cessar-fogo começa com quase 150 mortos na Síria

Trégua havia sido acordada entre o regime sírio e os rebeldes durante os quatro dias de um feriado muçulmano

Cessar-fogo começa com quase 150 mortos na Síria
Rebeldes acusam o regime de Bashar al-Assad de não interromper os confrontos (Fonte: Reprodução/AFP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A trégua de quatro dias declarada na Síria em função das comemorações do feriado muçulmano Eid al Adha não está sendo respeitada. Após algumas horas de aparente tranquilidade, os confrontos recomeçaram.

Leia também: Bashar al-Assad decreta anistia na Síria
Leia também: Veja imagens do conflito na Síria

Nesta sexta-feira, 26, o primeiro-dia do cessar-fogo, 146 pessoas morreram em decorrência de ataques e confrontos entre rebeldes e forças do regime de Bashar al-Assad, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), incluindo 53 civis, 50 rebeldes e 43 soldados do regime.

Ainda de acordo com o OSDH, nesta sexta houve explosões na cidade de Homs, além de combates nos subúrbios da capital Damasco e perto da base militar de Wadi Deif.

Violência continua neste sábado

O cessar-fogo havia sido acordado entre o regime sírio e os rebeldes durante os quatro dias da festa que marca o fim da peregrinação anual a Meca.

Pequenos focos de violência continuam a eclodir neste sábado, 27. O OSDH estima que pelo menos quatro civis já morreram.

Fontes:
Público - Primeiro dia de cessar-fogo na Síria quebrado com quase 150 mortos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Joildo Medeiros disse:

    Esse cessar-fogo não poderia durar muito, por que não é do interesse dos poderosos do mundo, que financiam essas revoltas, tudo conforme o planejado há décadas, com o objetivo satânico de deflagrar a III guerra mundial e implementar a Nova Ordem.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *