Início » Economia » China desestabiliza empresas estrangeiras
Protecionismo chinês

China desestabiliza empresas estrangeiras

Como a economia gigante da China desacelera, o governo de Xi parece estar tomando uma abordagem mais nacionalista e protecionista

China desestabiliza empresas estrangeiras
Em novembro de 2013, o governo de Xi tinha incentivado as empresas estrangeiras com a promessa de permitir que as forças de mercado desempenhassem um 'papel decisivo' na economia (Foto: Flickr/Day Donaldson)

Apesar do slogan “reforma e abertura” ter norteado a transformação econômica da China nas últimas três décadas e sua emergência como uma grande potência mundial, hoje a economia chinesa desacelera e sua política se torna cada vez mais nacionalista nas mãos do presidente Xi Jinping. As empresas estrangeiras temem que uma nova era esteja em andamento.

Como a economia gigante da China desacelera, o governo de Xi parece estar tomando uma abordagem mais protecionista para a formulação de políticas, enquanto a sua atitude em relação à quebra do mercado acionário tem levantado novas questões sobre sua competência.

Em novembro de 2013, em um importante congresso, o governo de Xi tinha incentivado as empresas estrangeiras com a promessa de permitir que as forças de mercado desempenhassem um “papel decisivo” na economia.

Agora, o ritmo das reformas foi perdido, e o clima nas empresas estrangeiras é mais sombrio. Este ano, o Partido Comunista introduziu uma nova legislação sobre segurança nacional e uma lei para regular as organizações não governamentais que têm gerado uma preocupação generalizada na comunidade de negócios estrangeiros, que temem que o espectro da segurança nacional possa ser usado para justificar o protecionismo.

Fontes:
The Washington Post-A nationalist China unsettles foreign companies

1 Opinião

  1. Brazilino Esperanza disse:

    Acreditar que a China é uma economia de mercado e apostar todas as fichas do crescimento de um país no incrível e continuado crescimento chinês é um erro que pode ser fatal. O mundo ocidental, cego pelo possível mercado chinês e pela dissimulada abertura chinesa, está cavando a pior crise econômica que a humanidade vai sofrer. Quando ela vai acontecer, não é muito fácil de prever. Mas, que ela não está muito distante é um quase fato.
    Infelizmente, o Brasil se esforçou muito para aumentar o grau de dependência de seu crescimento à disposição da China de fazer negócios conosco. Um grave erro. A globalização é um fato, mas não precisa ser motivo para o suicídio com data marcada. O Brasil tem um mercado interno imenso para desenvolver e deve tomar melhor conta dele. Cuidar bem do mercado interno poderá tornar a nossa economia e a nossa indústria mais eficiente. Isto vai ajudar a conquistar outros mercados e diluir o risco da quebra – proposital ou não – de um grande e único fiador do desenvolvimento nacional.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *