Início » Internacional » China e EUA negociam ‘acordo de desarmamento’ para o ciberespaço
Internet

China e EUA negociam ‘acordo de desarmamento’ para o ciberespaço

Presidente da China chega aos EUA nesta terça-feira, 22, em um momento em que a economia chinesa desacelera e põe em dúvida sua estratégia de governo

China e EUA negociam ‘acordo de desarmamento’ para o ciberespaço
Presidente chinês, Xi Jinping, chega a Seattle na terça-feira (Foto: Flickr/Day Donaldson/CC)

O presidente chinês Xi Jinping, amplamente visto como o líder mais poderoso do Partido Comunista chinês em gerações, chega aos Estados Unidos na próxima terça-feira, 22. A visita acontece em um momento desfavorável para o chinês, na medida em que seu país enfrenta ventos econômicos contrários e levanta dúvidas sobre sua fórmula centralizada de governar.

Um dos principais destaques da visita do presidente chinês é a negociação do que poderia se tornar o primeiro acordo de controle de armas para o ciberespaço. A meta é que as premissas de um acordo para salvaguardar infraestruturas digitais críticas em tempos de paz sejam anunciadas durante a visita de Xi. No entanto, não é esperado que ele cite questões controversas, tais como o roubo de propriedade intelectual ou de dados.

Quanto a outras questões que têm atormentado o governo Obama, Xi não mostra sinais de que pretende recuar. A construção acelerada de ilhas artificiais e estruturas militares em territórios disputados do Mar da China Meridional, por exemplo, deve continuar, assim como os ciberataques atribuídos a China que têm como alvo empresas e agências governamentais americanas. A China tem repetidamente negado seu papel nesses ataques.

Xi vai passar sete dias nos Estados Unidos e visitará três cidades. Sua agenda começa em Seattle, onde fará um discurso para executivos de negócios, bem como uma visita às sedes da Boeing e Microsoft. Em seguida, viaja para Washington para a sua primeira visita de Estado como presidente. O giro termina em Nova York, onde fará um discurso nas Nações Unidas.

Embora a economia chinesa tenha desacelerado, Xi chegará fortalecido ao seu encontro com Obama, que acontece na quinta-feira. A menos que algo de extraordinário aconteça nos mais altos escalões do Partido Comunista, Xi pode contar com mais sete anos no poder, enquanto Obama vai deixar o cargo em 16 meses, uma diferença que leva Xi a encarar seu homólogo americano como um pato manco, segundo estudiosos do governo chinês.

 

Fontes:
The New York Times - Xi Jinping of China Arriving in US at Moment of Vulnerability

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *