Início » Internacional » Cidade russa comemora inauguração de centro em homenagem a Stalin
POLÊMICA

Cidade russa comemora inauguração de centro em homenagem a Stalin

Líder local do partido comunista diz que não havia nada de repreensível sobre as ações de Stalin

Cidade russa comemora inauguração de centro em homenagem a Stalin
Os comunistas da cidade declararam 2016 como o Ano de Stalin em toda a região (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os comunistas de uma cidade russa organizaram uma pequena reunião para comemorar a abertura de um novo centro de cultura em Penza em homenagem a Joseph Stalin, que ocorreu na semana passada.

Durante a reunião o líder local do partido comunista, Georgy Kamnev, falou sobre os objetivos da nova unidade, que não deve funcionar como um museu, mas como um espaço onde as pessoas podem estudar a experiência stalinista e adaptá-la às realidades modernas.

Os comunistas da cidade declararam 2016 como o “ano de Stalin” em toda a região, e prometeram realizar diversos eventos. A ideia da abertura do centro foi de Kamnev, que se juntou ao Partido Comunista da Rússia durante o seu primeiro ano de universidade.

Ele diz que a decisão de criar o centro foi influenciada por um centro em homenagem a Boris Iéltsin, primeiro presidente da Rússia após o colapso econômico da União Soviética, em Yekaterimburgo, que abriu há um mês.

Kamenev levou um jornalista do Guardian a um passeio pelo centro. “Por que Stalin está ganhando relevância?”, ele pergunta, retoricamente. “Ele é a resposta para todos os problemas. E ele resolveria os problemas de hoje de forma muito eficaz”. O repórter então pergunta como Stalin resolveria a corrupção como a questão do ex-ministro de Defesa Anatoly Serdyukov  e sua amante Yevgeniya Vasilyeva, acusados de fraude e corrupção. “Ele teria atirado neles”, diz.

O jornalista também perguntou sobre os campos de trabalho forçado soviéticos. Kamnev disse que não havia nada de repreensível sobre as ações de Stalin: “As condições históricas têm de ser levadas em conta. Algumas coisas que foram, em seguida, moralmente permissíveis agora são inadmissíveis. Afinal de contas, os direitos humanos não apareceram de repente – foi um longo processo.”

O repórter insiste: “Era normal matar pessoas? Mandá-los embora para onde eles iriam congelar até a morte?” Kamnev responde: “O Estado tinha o direito de fazê-lo para reprimir seu povo. Isso era seu direito. ”

 

Fontes:
The Guardian-Russian city opens cultural centre celebrating Stalin

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Todo o historiador sabe que não se pode analisar o passado com os olhos do presente. Tem que apreciar sem fazer qualquer juízo, assim a verdade se revela.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *