Início » Internacional » Colunista do ‘NYT’ denuncia site que promove estupro de menores
ABUSO INFANTIL

Colunista do ‘NYT’ denuncia site que promove estupro de menores

Segundo o colunista Nicholas Kristof, o Backpage.com tem um grande número de anúncios vendendo menores de idade para sexo

Colunista do ‘NYT’ denuncia site que promove estupro de menores
Estimativas apontam que crianças de 47 estados já foram vendidas no site (Foto: flickr/wusa)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um artigo publicado nesta quinta-feira, 10, no New York Times, denuncia um site de anúncios americanos por promover o estupro de menores.

Segundo o colunista Nicholas Kristof, o Backpage.com tem todo tipo de anúncio, de barcos a antiguidades. Porém, o maior lucro do site é através de anúncios de acompanhantes. Cerca de 80% deste tipo de anúncio veiculados nos EUA são através do o Backpage.com.

A maioria dos anúncios é feita por adultos e com consentimento, mas também há um grande número de mulheres e meninas menores de idade vítimas de tráfico sexual. Segundo o artigo, estimativas de grupos de apoio à criança dos EUA apontam que crianças de no mínimo 47 estados já foram vendidas no site.

“Nós, como sociedade, somos cúmplices ou passivos ao permitir que um site popular chamado Backpage.com seja usado para promover o estupro de menores. Considere o que aconteceu com uma menina que chamarei de Natalie, vítima de tráfico sexual em Seattle quando tinha 15 anos”, escreve Kristof.

O colunista cita o depoimento da mãe de Natalie, que disse ter passado pelo pior pesadelo de todos os pais. “Pode acontecer com todos os pais. Adolescentes de 15 anos não costumam fazer as melhores escolhas. Eu a deixei na escola de manhã e esperava pegá-la de tarde, e, então, não a vi por 108 dias”. Em vez de ir para a aula, a menina fugiu para um terminal rodoviário, onde foi encontrada por um cafetão e, em questão de dias, foi vendida em um anúncio de sexo no Backpage.com.

A menina foi encontrada pela polícia, mas o trauma arruinou sua vida. “Ela tocava violino, estava no time de futebol. Tomou uma decisão estúpida que mudou a vida dela para sempre. E o Backpage.com facilitou isso”, disse a mãe de Natalie.

“Se houvesse um grande site americano vendendo heroína ou antraz seria um escândalo. Ainda assim, nós americanos toleramos sites como o Backpage.com, que é usado regularmente para vender crianças”, critica Kristof.

Kristof alerta que, por ano, milhares de crianças são vítimas de tráfico sexual nos Estados Unidos, embora não haja um número sólido. “A única coisa que está clara é que é um grande problema que recebe a atenção mínima; nunca foi mencionado nas atuais campanhas políticas”, diz o colunista.

O artigo finaliza citando algumas ações em curso para pressionar o Backpage.com. Uma é um processo contra o site que corre no estado de Washington sobre o caso e Natalie e outras duas meninas de treze anos que foram vendidas no site. Uma delas relatou que chegou a ser estuprada 20 vezes por dia.

Outra ação é a decisão das empresas de cartão de crédito de não processar mais transações relativas a anúncios de acompanhantes do Backpage.com. Há também uma ação no Congresso defendida por democratas e republicanos que visa obrigar o site a cumprir intimações de investigação do Senado.

“Em uma época em que o Congresso parece travado e disfuncional, é bom ver o Senado se movendo de forma bipartidária para solucionar um problema que afeta os mais vulneráveis do país”, disse Kristof.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *