Início » Vida » Comportamento » Comércio da maconha segue crescendo nos EUA
MERCADO DE CANNABIS

Comércio da maconha segue crescendo nos EUA

Apesar de uma política mais conservadora do governo, o setor de produção e comercialização de maconha nos Estados Unidos continua a crescer

Comércio da maconha segue crescendo nos EUA
O valor de mercado do setor de produção e comercialização de maconha terá um aumento acentuado em 2018, com o início das vendas para uso recreativo na Califórnia (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Mais da metade dos estados americanos legalizaram o uso da cannabis para fins medicinais, muitas vezes com uma atitude tolerante em relação a outros tipos de uso. Oito estados aprovaram a legalização da maconha para fins recreativos. O valor de mercado do setor de produção e comercialização de maconha avaliado em cerca de US$6 bilhões no ano passado, terá um aumento acentuado em 2018, com o início das vendas para uso recreativo na Califórnia.

No entanto, em Washington, DC, o cenário é mais pessimista. Em 1990, Donald Trump disse que “era preciso legalizar as drogas para vencer a guerra de combate ao tráfico”, mas em sua carreira política adotou uma postura mais conservadora. Durante a campanha presidencial Trump referiu-se ao mercado legal de cannabis no Colorado como um “problema real”. O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, disse há pouco tempo que haveria um controle maior da aplicação das leis que proíbem a produção e venda da cannabis em nível federal. Essa política mais rígida preocupa os fornecedores de maconha. O fato de eles estarem infringindo a lei federal significa que, em teoria, seus lucros são ilegais e, portanto, estão sujeitos a confisco.

Em 2013, o vice-procurador-geral, James Cole, publicou uma nota tranquilizadora na qual dizia que os agentes federais não iriam interferir na distribuição e comércio de maconha nos estados que haviam legalizado a droga, com exceção de casos de venda para menores de idade ou em jurisdições onde a droga era ilegal, e de financiamento de atividades criminosas.

Mas o procurador-geral Jeff Sessions deixou claro que tem uma opinião diferente. Na sessão de confirmação de sua nomeação como secretário de Justiça no Senado, Sessions declarou que: “Aplicarei a lei federal sempre que for necessário.” Uma carta do Departamento de Justiça é suficiente para fechar uma empresa envolvida com qualquer atividade ligada à cannabis.

Alguns investidores assustaram-se com a declaração do secretário de Justiça, mas a maioria manteve a calma. O índice das 50 ações do mercado de cannabis da Viridian Capital Advisors ainda está em alta de 18%. A venda de maconha para fins medicinais, que movimenta a maior parte do setor, está protegida por uma lei federal que proíbe os agentes federais de interferir nos estados que a legalizaram.

O uso da cannabis para fins medicinais tem “100º” do apoio de Trump, assim como da maioria dos americanos. E apesar do pequeno apoio ao seu uso recreativo, muitos americanos, inclusive a maioria dos republicanos, defendem o direito do livre-arbítrio dos estados quanto à produção e venda da maconha.

Fontes:
The Economist-America’s pot industry shrugs off Donald Trump’s harder line on drugs

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Natanael Ferraz disse:

    É muito fácil formar uma opinião sobre o uso de drogas, basta usar os princípios do universal e necessário e da adequação: é realmente necessário usar drogas? é adequado? Todos podem usar?
    Como se vê, tem muitos Não nessa resposta.

  2. laercio disse:

    Certamente algum certinos vai se fazer valer dá liberação do uso nos oito estados americanos e dizer que o Brasil deve seguir a mesma dinâmica!
    Estados Unidos e Brasil são dois planetas em galáxias diferentes… Um tem lei que pune, tem recursos para tratamento…
    O outro tem abutres piores do que os reais pois fazem emboscada para matar suas vítimas e posteriormente aproveitarem-se dá carniça.

    A liberação dá drogas fará o Brasil entrar num colapso criminal sem par; é necessário que seja instituída a pena de morte no Brasil para traficantes, patrocinadores e mais políticos porque estão no mesmo andar e prejudicam os demais…

  3. Beraldo disse:

    Lá cresce o comércio legal e aqui cresce o ilegal.
    La tem a pena de morte legalizada e aqui a ilegal, praticada a mando de traficantes.
    Reflexão…

  4. Antonio disse:

    Se os EUA vêm liberando o uso da maconha, o país que mais gastou para o combate da droga e ao mesmo tempo continua o maior consumidor, não é porque se simpatiza com ideia do uso recreativo da cannabis, é porque se deram conta que se trata de uma guerra perdida, com grande desperdício de recursos, quando o melhor a fazer seria investir em campanha contrária ao uso, como acontece com o tabaco, e recuperação de drogado. Se eles se deram conta disso, quem dera nós, que apreendemos somente de 5 a 10% de toda a droga consumida no país, e com elevado custo para manter na prisão somente os peixes pequenos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *