Início » Economia » Como a crise ‘afetou’ a renda dos ricos dos EUA
Os ricos e o resto

Como a crise ‘afetou’ a renda dos ricos dos EUA

Cerca de 95% do crescimento na renda americana desde 2009 foi para os 1% mais ricos

Como a crise ‘afetou’ a renda dos ricos dos EUA
Parcela da renda nacional que vai para os mais ricos nos EUA atingiu o nível recorde de 19,3% (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os frutos da recuperação cabem aos ricos. Parecia agourento o fato de que em 2007 a parcela da renda nacional apropriada pelos 1% mais ricos dos EUA chegou a 18,3%: a mais alta desde pouco antes do crash de 1929. Mas, enquanto a Depressão iniciou uma longa era de crescimento de renda igualitário, os ricos se saíram muito melhor desta vez.

Novos dados compilados por Emmanuel Saez, da Universidade da Califórnia, Berkeley, e Thomas Piketty, da Faculdade de Economia de Paris, revelam que os 1% mais ricos tiveram um crescimento de renda real de 31% entre 2009 e 2012, comparado a um crescimento de menos de 1% para os outros 99%. Após a Depressão, os domicílios de todo o espectro de renda tiveram um crescimento de renda aproximadamente proporcional às perdas durante a crise. Como resultado, os 1% mais ricos se apropriaram de apenas 28% do crescimento de renda total do período de 1933 a 1936.

Desta vez, cerca de 95% do crescimento na renda americana desde 2009 foi para os 1% mais ricos. Não surpreende, portanto, que a parcela da renda nacional que vai para os mais ricos esteja no nível recorde de 19,3%, superior tanto à de 2007 como à de 2009.

Fontes:
The Economist-The rich get richer

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *