Início » Internacional » Como alimentar a população mundial de forma sustentável?
DESAFIO GLOBAL

Como alimentar a população mundial de forma sustentável?

Até 2050 o mundo precisará produzir 70% mais de alimentos do que em 2009

Como alimentar a população mundial de forma sustentável?
Uma das respostas seria a mudança dos hábitos alimentares (Foto: longitudes.ups)

De 2017 a 2050, a população mundial deverá crescer de 7,6 bilhões para 9,8 bilhões de pessoas. Em consequência, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), até 2050 o mundo precisará produzir 70% mais de alimentos do que em 2009. Nos países mais desenvolvidos a tendência é do aumento do consumo de proteínas, sobretudo de carne e peixe, em razão do maior poder aquisitivo. Na Ásia, por exemplo, a previsão do aumento do consumo de carne é de 44% nos próximos 10 anos.

A criação de animais para abate já tem efeitos prejudiciais ao meio ambiente. Um quarto da terra cultivável do mundo é destinado à criação de mais de 20 bilhões de galinhas, de 1,5 bilhão de cabeças de gado e de 1 bilhão de carneiros e ovelhas. Esses animais consomem 30% das colheitas do mundo inteiro. Além disso, a produção de 1 kg de carne bovina consome em torno de 15 mil litros de água, em comparação com apenas 1.500 litros para o cultivo de 1 kg de milho ou trigo. E os gases expelidos pelos animais são responsáveis ​​pela emissão de 14,5% dos gases de efeito estufa, de acordo com a FAO.

Então, como alimentar a população do planeta de maneira sustentável? Uma das respostas seria a mudança dos hábitos alimentares. Os vegetarianos optam por se alimentarem só com vegetais, sem a ingestão de proteína animal, mas seria quase uma missão impossível convencer a população da África Subsaariana a comer só mandioca. O incentivo ao consumo maior de peixe foi uma solução mais plausível. Nos últimos anos, o hábito de comer peixe superou o da carne bovina, e a aquicultura é responsável pela metade dos peixes disponíveis para consumo. Mas os peixes criados em viveiros, em especial o salmão, alimentam-se de peixes e a pesca em excesso ameaça a sobrevivência de algumas espécies e provoca um desequilíbrio ecológico nos mares e oceanos.

Uma ideia mais radical seria o consumo de insetos, que contêm até três vezes mais proteína do que a carne bovina e já faz parte da dieta alimentar de 2 bilhões de pessoas, segundo dados da FAO. Existe também a possibilidade de produzir proteína artificial. Algumas startups estão investindo em alternativas à proteína animal, com a produção de carne artificial a partir de células de animais e de ingredientes retirados de plantas.

Inovações como essas têm um enorme potencial, mas outra abordagem, menos óbvia, é a mudança do tipo de alimentos dados aos animais. Em 1990, 90% da alimentação do salmão criado em viveiros na Noruega consistia em farinha de peixe, mas em 2013, a alimentação com base em vegetais reduziu essa proporção para 30%. Por sua vez, as larvas da mosca soldado encontradas em locais onde há matéria orgânica em decomposição podem ser uma excelente fonte de proteína para a preparação de ração animal. Ou seja, existem diversas opções de novos tipos de alimentos, resta a tarefa nada fácil de criar novos hábitos, quebrar tabus e usar a tecnologia para criar fontes alternativas à proteína animal.

Fontes:
The Economist-How to provide a protein-rich diet to a growing population

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Adriano Adriano disse:

    Abolição dos animais+agricultura sintrópica+permacultura.
    A melhor solução, em minha opinião.

    Com agricultura natural, precisamos deste mesmo um quarto de terra que mencionou para cultivar alimentos para toda a população humana.

    Imagine quanta comida sobraria em um dia se não houvesse tanto gado pra comer.

    Hoje é dia mundial da Alimentação;
    Deixo um convite a reflexão sobre este ponto de vista.

    Seguimos.

  2. Natanael Ferraz disse:

    Esses cientistas deveriam ler Opinião e Notícia: já foi noticiado aqui que a população mundial está envelhecendo e que deve começar a diminuir a partir de 2040. Logo, precisaremos apenas de mais mingau e canja-de-galinha.

  3. laercio disse:

    As previsões atuais envolvem uma série de interesses particulares, então se convenciona dar impressão de falta de alimentos.

    Hoje o planeta tem plenas condições de alimentar 20 bilhões de pessoas!

    O problema é que não há aproveitamento das nossas potencialidades.

    Vamos considerar um exemplo bem simples: a vaca.
    A vaca é uma rede de suprimento inesgotável; produz leite, estrume, tração animal é vários derivados que culminam em custo benefício favorável a manutenção de rebanhos em desfavor do gado de corte que é o grande vilão da fome no mundo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *