Início » Internacional » Como Las Vegas resiste à crise hídrica que atinge os Estados Unidos
oásis no deserto

Como Las Vegas resiste à crise hídrica que atinge os Estados Unidos

A Cidade do Pecado tem demonstrado uma extrema eficiência na administração do uso da água, mesmo com o crescimento da população

Na estrada quente e deserta entre Las Vegas e a beleza espetacular de Red Rock Canyon National Conservation Area, o viveiro de plantas de Cactus Joe é um oásis em meio ao deserto. Cactos, iúcas, rochas ornamentais e vários tipos de móveis de jardim espalham-se por uma área de 3 hectares. O negócio está crescendo, disse Yucca Lou, o ex-engenheiro bronzeado e com botas de cowboy que administra Cactus Joe há alguns anos. “Em geral, as pessoas em Las Vegas têm jardins com plantas tropicais e muitas folhagens, que precisam ser regadas com frequência. Mas agora as pessoas em vez de gramados estão enfeitando os jardins com pedras decorativas e comprando cactos”, comentou Lou.

O sucesso de Cactus Joe ajuda a explicar por que Las Vegas tem resistido razoavelmente bem, pelo menos em comparação com a vizinha Califórnia à seca que atinge a maior parte da região oeste dos Estados Unidos. Para um observador casual, o uso da água em Las Vegas parece um desperdício excessivo. Os visitantes que sobrevoam a cidade veem muitas casas em bairros residenciais com piscinas. Os hotéis em Las Vegas Boulevard South têm fontes, piscinas enormes e as avenidas são arborizadas,tudo isso rodeado pelo deserto. No entanto, sob essa miragem, tranquilamente, a Cidade do Pecado tem demonstrado uma extrema eficiência na administração do uso da água, mesmo com o crescimento da população. Mas para que esse sucesso continue a eficiência terá de ser ainda maior.

Las Vegas tem um grande consumo de água. Em 2010, o último ano em que o US Geological Survey divulgou dados comparativos de âmbito nacional, cada morador de Clark County, que abrange toda a área urbana de Las Vegas e os bairros residenciais, teve um consumo de 886 litros de água por dia. Na Califórnia, o consumo era de 685 litros. Porém, nos últimos anos o sul de Nevada fez um corte drástico no consumo de água. De 2002 a 2014, o abastecimento de água do rio Colorado diminuiu 30%, mesmo com o aumento de meio milhão de moradores em Clark County.

Ao contrário do sul da Califórnia, que tem outras fontes de água (como águas subterrâneas), quase todo o abastecimento de água de Las Vegas é proveniente do lago Mead, o grande reservatório de água atrás da represa Hoover que, por sua vez, é abastecido pelo rio Colorado. Este ano o volume de água do reservatório atingiu o menor nível desde a construção da represa em 1936. A visão das rochas esbranquiçadas no fundo do lago mostra como o nível de água diminuiu; as torres de entrada de água da represa estão agora quase totalmente visíveis. O abastecimento da cidade é feito através de dois túneis de captação de água. A fim de garantir que não haja racionamento de água em Las Vegas o governo investiu US$817 milhões na construção de um terceiro túnel, que deverá ser inaugurado em setembro.

Fontes:
The Economist-Concrete oasis

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *