Início » Internacional » Como manipular índices estatísticos
Indicadores de performances

Como manipular índices estatísticos

O “indicador de desempenho” é o recurso mais moderno de avaliação quantitativa usado pelos governos, grupos de pesquisa interdisciplinar e ativistas

Como manipular índices estatísticos
Lembre-se que é possível escolher as informações a serem inseridas em seu indicador de desempenho (Reprodução/Internet)

“As pessoas desonestas conhecem estes truques. Então, os honestos precisam aprendê-los para se defender”, escreveu Darrell Huff em How to Lie With Statistics, um livro que ensina como manipular índices estatísticos, publicado em 1954. Infelizmente, o livro de Huff precisa ser atualizado.

O “indicador de desempenho” é o recurso mais moderno usado pelos governos, grupos de pesquisa interdisciplinar e ativistas, para  organizar dados aleatórios referentes a temas sociais e de política pública como sofrimento humano, corrupção, liberdade e felicidade de crianças sob um ranking internacional único e fácil de entender . Quando bem feito um indicador de desempenho mostra possíveis deficiências, sugere soluções e estimula a ação. Mas existe contradições frequentes desses indicadores em índices estatísticos como no ranking do Global Gender Gap publicado na semana passada pelo Fórum Econômico Mundial, no Gender Inequality Index da ONU, no Index of Women’s Power do Big Think, um fórum na Internet, e no Glass Ceiling Index publicado pela Economist. Ainda mais grave, alguns indicadores são inúteis ou induzem ao erro.

Em qual confiar ou ignorar? Na visão de Huff, é fundamental eliminar o pedantismo e facilitar ao máximo a vida, com o uso de números disponíveis, mesmo se forem antigos, extraídos de exemplos pequenos, tendenciosos, ou provenientes de fontes diferentes. Por exemplo, não existem dados quantitativos de um determinado país? Compare os dados numéricos, apesar de questionáveis. Se os números indicarem uma direção errada, peça a acadêmicos gentis e homens de negócios que formulem números mais convenientes, e os agradeça pela “opinião especializada”. Mas se todas essas tentativas falharem, aperfeiçoe sua análise.

Lembre-se que é possível escolher as informações a serem inseridas em seu indicador de desempenho, de acordo com cada caso específico. Indique o problema, proponha uma solução, e evite a crítica, porque como na fábula de Esopo, A raposa e as uvas, é fácil desprezar o que não se pode obter. Afinal, os números estão ao seu lado.

Fontes:
The Economist-How to lie with indices

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *