Início » Internacional » Como São Francisco, nos EUA, controlou a crise hídrica
Seca

Como São Francisco, nos EUA, controlou a crise hídrica

Após graves estiagens, autoridades e moradores ligaram o sinal de alerta, e o tema passou a fazer parte do dia-a-dia

Como São Francisco, nos EUA, controlou a crise hídrica
Consumo médio de água per capta em São Francisco é hoje o mais baixo da Califórnia (Fonte: Reprodução/BBC)

Um pouco de planejamento e campanhas de conscientização bem conduzidas pela administração pública estão salvando a cidade de São Francisco, na Califórnia, das consequências mais drásticas que uma crise hídrica pode trazer à população.

Após graves estiagens enfrentadas nas décadas de 1980 e 1990, quando houve racionamento, autoridades e moradores ligaram o sinal de alerta, e o tema passou a fazer parte do dia-a-dia, sendo objeto de políticas públicas e levado até às escolas. Nos últimos 20 anos, o consumo médio de água per capta em São Francisco caiu 12%, sendo hoje o mais baixo da Califórnia.

Em 2013, quando a atual seca se agravou, o prefeito da cidade fez um apelo para que a população reduzisse ainda mais e espontaneamente o consumo de água, sem ameaça de multa ou que tais, em 10%. A resposta dos cidadãos foi uma redução ainda maior, de 14%.

Os restaurante não colocam mais água na mesa dos clientes automaticamente, como é, ou era, hábito por lá. Agora, só servem água se o cliente pedir. Gramados naturais vêm sendo substituídos por gramados artificiais ou por plantas que demandam mínima irrigação.

Outra medida considerada fundamental foi a exigência de donos de imóveis trocaram chuveiros e vasos sanitários por modelos com alta capacidade de economia de água, sob pena de, caso contrário, não poderem colocar suas casas, lojas e apartamentos à venda.

A cidade também passou a dar descontos na conta de água para quem trocasse não apenas vasos e chuveiros, mas também máquinas de lavar por modelos com baixo consumo de água. Além disso, planejou a diversificação das suas fontes hídricas, antigamente restrita ao manancial do Parque Nacional de Yosemite.

O resultado de tudo é que, hoje, a cidade de São Francisco se preocupa, sim, com três anos de chuvas abaixo da média, mas com a segurança de suas fontes de abastecimento operando a níveis superiores à metade da sua capacidade.

Fontes:
BBC Brasil - Poupar e educar: as armas de San Francisco contra a seca

1 Opinião

  1. Joma Bastos disse:

    Não existe somente crise hídrica. A Crise é generalizada!
    Comecemos por algum lado! Mude-se a lei! Que todos os políticos criminalmente condenados ou com processos criminais pendentes, seja qual for o seu quadrante ou nível político, procurem um emprego não estatal, ou façam seu investimento privado, mas que fiquem definitivamente fora da política ativa.
    Assim as veias iriam trazer sangue novo, criminalmente limpo, ao coração desta Nação.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *