Início » Internacional » Como um distrito de Serra Leoa consegue se manter livre do ebola
Surto de ebola

Como um distrito de Serra Leoa consegue se manter livre do ebola

Localizado no epicentro do surto de ebola, Koinadugu se mantém livre do vírus graças ao esforço conjunto entre a população, o governo local e um filantropo chamado Momoh Konte

Como um distrito de Serra Leoa consegue se manter livre do ebola
Konte conseguiu convencer os políticos locais de Koinadugu a adotar um plano contra o vírus (Reprodução/Independent)

Koinadugu é um distrito de Serra Leoa localizado no norte do país, próximo à fronteira com a Guiné. Cercado de montanhas, o distrito tem uma população de 265 mil pessoas que dependem da atividade agrícola para sobreviver.

Leia mais: Obama promete resposta mais ofensiva no controle do ebola nos EUA
Leia mais: Confirmado 2º caso de contágio de ebola nos EUA

Mas, embora seja uma região pobre, o distrito é uma fonte de orgulho para os moradores. Isso porque Koinadugu conseguiu se manter livre do ebola, mesmo estando no epicentro do surto.

O feito se deu graças ao esforço conjunto entre o governo local, a população e um filantropo chamado Momoh Konte. Nascido em Kabala, capital de Koinadugu, Konte deixou o país anos atrás para estudar nos Estados Unidos, onde atualmente é dono de uma empresa de consultoria econômica. Ao tomar conhecimento do surto, retornou a Serra Leoa disposto ajudar a conter o alastramento do vírus em seu distrito natal.

Por ser uma personalidade respeitada na região, Konte conseguiu convencer os políticos locais de Koinadugu a adotar um plano contra o vírus. Entre as medidas sugeridas no plano estavam isolar o distrito do resto do país, inspecionar todos aqueles que entram e saem de Koinadugu e limitar as viagens dos produtores agrícolas a outros distritos. Essa última medida irritou os produtores, que dependem das viagens para vender suas colheitas. Para contornar essa situação, Konte ofereceu uma ajuda de 2,000 Leones (cerca de R$ 120 mil) para cobrir o prejuízo dos produtores.

Os curandeiros, uma forte tradição no país, também estavam na mira do plano de Konte. Muitos deles usam sangue em seus rituais, uma fonte de risco de transmissão do ebola. “Quando se trata de curandeiros, devemos prestar uma atenção especial. Eles são muito populares na África e as pessoas confiam neles. Um curandeiro com ebola seria desastroso para a comunidade”, diz Konte. Uma força tarefa foi criada para conversar com os curandeiros sobre o ebola, além de oferecer dinheiro e orientá-los a não tratar ninguém com os sintomas da doença.

Konte reconhece que as medidas adotadas restringem um pouco da liberdade, mas defende que elas são necessárias. “Não dá para ter conforto quando se está combatendo o ebola”. O filantropo afirma que a população de Koinadugu precisa continuar alerta, pois o status de “região livre do ebola” pode cair por terra ao menor descuido.

Fontes:
The Independent-Ebola outbreak: Sierra Leone is battling to contain the virus, but one area of the country remains untouched

1 Opinião

  1. Filomeno Viriato disse:

    Grande exemplo de cidadania deste camarada.

    Acho que se todos fizessem a sua parte, o medo e o pânico, não seriam tão abrangentes…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *