Início » Internacional » Computação em nuvem gera grandes mudanças no setor tecnológico
Tecnologia

Computação em nuvem gera grandes mudanças no setor tecnológico

Empresas descobriram que o custo de colocar seus recursos computacionais e armazenar os dados em servidores de computação em nuvem online está cada vez mais barato

Computação em nuvem gera grandes mudanças no setor tecnológico
O setor de tecnologia da informação (TI) está passando por uma mudança (Reprodução/Internet)

Enquanto os provedores de serviços de computação em nuvem apressam-se em criar centros de dados e a batalha pela participação no mercado continua, as empresas descobrem que o custo de colocar seus recursos computacionais e armazenar os dados em servidores de computação em nuvem online está cada vez mais barato. Nos últimos três anos os preços caíram para cerca de um quarto, de acordo com o banco Citigroup; e quedas ainda mais expressivas serão inevitáveis. Alguns provedores, como a Microsoft, começaram a oferecer serviços gratuitos para startups, na expectativa de transformá-las em clientes pagantes quando consolidarem seus negócios.

O setor de tecnologia da informação (TI) está passando por uma mudança violenta, em certo sentido revertendo a tendência da década de 1990, quando a computação corporativa trocou os mainframes centralizados e gigantescos por computadores menores, desktops dispersos e servidores. Assim como a maioria dos progressos em TI, o processamento e o armazenamento online com um custo menor resultaram da Lei de Moore, segundo a qual a densidade dos transistores de um microchip dobra a cada dois anos. A Lei de Moore comemorou seu aniversário de 50 anos em 19 de abril, mas, felizmente, ainda se manterá em vigor por algum tempo.

No entanto, para provedores de serviços de computação em nuvem e seus acionistas, a pergunta é: será possível ganhar dinheiro com esse sistema de servidores virtuais e terceirização da infraestrutura computacional? Até o momento, muitos acumulam perdas. Os provedores têm dificuldade de diferenciar seus serviços, obrigando-os a competir no preço e a se expandir com rapidez para alcançar as economias de escala. O risco é que tenham o mesmo destino das companhias aéreas e das empresas do setor automobilístico, com problemas crônicos de excesso de capacidade de produção, em constante luta para atingir uma margem de lucro decente e sempre com a esperança que seus concorrentes fracassem primeiro.

Fontes:
The Economist-The cheap, convenient cloud

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *