Início » Internacional » Conselho do Ártico busca soluções para novos desafios
Mudanças Climáticas

Conselho do Ártico busca soluções para novos desafios

Além de proteger os recursos culturais e biológicos, os países precisam manter a cooperação independentemente de confrontos geopolíticos

Conselho do Ártico busca soluções para novos desafios
O derretimento do gelo ártico vai abrir novas rotas de navegação (Reprodução/Wikimedia Commons)

Quando o gelo do Ártico não tinha começado a derreter, as reuniões bienais do Conselho do Ártico costumavam atrair pouca atenção com suas discussões sobre proteção ambiental e atividades de busca e salvamento. Mas o encontro deste ano, realizado nos dias 24 e 25 de abril no Canadá, deixou claro que as divergências da Rússia com os outros países membros do grupo pode ser um obstáculo para a manutenção das cooperações na região.

Respeitando um rodízio de dois anos, os Estados Unidos assumiram a presidência do Conselho do Ártico, que é formado também pelo Canadá, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega, Rússia e Suécia, além de representantes de seis grupos indígenas da região. O derretimento do gelo ártico vai abrir novas rotas de navegação e permitir o acesso a grandes reservas de petróleo, gás e minerais, o que representa novas oportunidades e desafios.

Além de proteger os recursos culturais e biológicos do Ártico, os Estados Unidos tem o desafio de impedir que os conflitos com a Rússia na crise da Ucrânia enfraqueça a cooperação firmada durante os últimos 20 anos entre os países membros do Conselho do Ártico.

A Rússia tem aumentado regularmente a presença militar no extremo norte. Na véspera do encontro, o vice-primeiro-ministro russo, Dimitry Rogozin, viajou ao Polo Norte para inaugurar uma estação de pesquisa científica – e para deixar claro que a Rússia pretende proteger seus direitos no Ártico, região que ele chamou de “Mecca russa” no Twitter.

Apesar do governo americano declarar que a tensão com a Rússia não mudará o foco na segurança, no desenvolvimento econômico e nas mudanças climáticas da região ártica, um grupo de 45 especialistas, membros do governo e representantes de organizações não governamentais se encontrou em Washington em fevereiro e relatou a necessidade da região continuar fora de confrontos geopolíticos.

Fontes:
New York Times-Thawing Ice and Chilly Diplomacy in the Arctic

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *