Início » Internacional » Coreia do Norte se diz disposta a congelar programa nuclear
DIÁLOGO ABERTO

Coreia do Norte se diz disposta a congelar programa nuclear

A condição seria que os Estados Unidos aceitassem abrir um diálogo direto com a Coreia do Norte

Coreia do Norte se diz disposta a congelar programa nuclear
Kim Jong-un participará de sua primeira cúpula entre as coreias (Foto: Departamento Presidencial da Coreia do Sul/EPA)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Coreia do Norte está disposta a congelar o seu programa nuclear caso os Estados Unidos aceitem um diálogo direto com os norte-coreanos.

A afirmação foi feita nesta terça-feira, 6, pela delegação sul-coreana, liderada pelo chefe do escritório de Segurança Nacional do Sul, Chung Eui-yong, após conversar com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, na última segunda-feira, 5.

O encontro entre os dois países ocorreu em Pyongyang, a capital da Coreia do Norte, para dar continuidade a reaproximação entre as coreias, que vivem sob forte tensão militar e política desde a Guerra da Coreia, entre os anos 1950 e 1953. As nações voltaram a se reaproximar depois do discurso do ano novo do líder norte-coreano Kim Jong-un. No último mês, os países disputaram uma modalidade das Olimpíadas de Inverno juntos, além de terem desfilados unidos na abertura da competição internacional.

Além da possível aproximação com os Estados Unidos, o líder da Coreia do Norte se encontrará com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, no final de abril para a primeira cúpula entre as nações em mais de uma década. A reunião vai ocorrer em Panmunjom, na fronteira entre os dois países, e será a primeira de Kim Jong-un como líder norte-coreano – a cúpula anterior, em 2007, foi feita por seu pai, Kim Jong-il.

“O lado norte afirmou claramente seu compromisso com a desnuclearização da Península da Coreia e disse que não teria razão para possuir armas nucleares se a segurança de seu regime fosse garantida e ameaças militares contra a Coreia do Norte removidas”, informou um porta-voz da Coreia do Sul, segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Com a reaproximação entre as coreias, uma linha direta entre os governos deve ser aberta para consultas mais rápidas e a possível redução da tensão militar. As imagens divulgadas do encontro de Kim Jong-un com a delegação sul-coreana mostra o líder norte-coreano alegre. Além disso, Kim teria afirmado que deseja “escrever uma nova história da reunificação nacional”, conforme informou a Agência Central de Notícias da Coreia do Norte (ACNC).

Para melhorar ainda mais a recepção da comitiva sul-coreana, Kim Jong-un reservou um jantar, com a participação de sua irmã e conselheira, Kim Yo-jong, que já havia visitado a Coreia do Sul no início de fevereiro. As conversas durante a refeição duraram mais de quatro horas.

Estados Unidos

Antes da comitiva sul-coreana voltar ao seu país, o porta-voz da comitiva norte-coreana, Chung Eui-yong, garantiu que vai encorajar o diálogo direto entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, assim como seguirá trabalhando na aproximação entre os países. Porém, isso não parece tarefa fácil, visto que recentemente uma nova rodada de sanções americanas sobre a Coreia do Norte foi anunciada pelo possível uso de armas químicas.

Em julho de 2017, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, já havia informado que a Coreia do Norte abandonar o programa nuclear não seria o suficiente para que os dois países se aproximassem, visto que a força militar norte-coreana avançou muito nos últimos anos.

Na época, Rússia e China estavam tentando mediar um diálogo entre Estados Unidos e Coreia do Norte, mas sem muito sucesso. Visto como um parceiro para exercícios militares recorrentes, a Coreia do Sul tem maiores chances de ter êxito na intermediação do diálogo, mas não há garantias, uma vez que os americanos ainda não se pronunciaram sobre o novo posicionamento da Coreia do Norte.

Ao longo de todo o ano de 2017, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se ameaçaram mutuamente. Em janeiro deste ano, diante da afirmação de que a Coreia do Norte teria um “botão nuclear”, Trump afirmou que o botão nuclear dos americanos é “maior e mais poderoso que o dele [Kim Jong-un]”.

Fontes:
The Guardian - North Korea willing to relinquish nuclear weapons, says Seoul

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Aureo Ramos de Souza disse:

    Esta foi a melhor noticia que tivemos. O que vale é diálogo e acabar com esta briga.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *