Início » Internacional » Coreia do Sul propõe diálogo com Coreia do Norte
DIPLOMACIA

Coreia do Sul propõe diálogo com Coreia do Norte

Medida é uma reposta ao pedido por diálogo feito pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un, em discurso de Ano Novo

Coreia do Sul propõe diálogo com Coreia do Norte
Moon Jae-in pediu repetidamente que a Coreia do Norte se juntasse ao sul nas Olimpíadas de Inverno (Foto: Wikimedia e AP)

Nesta terça-feira, 2, a Coreia do Sul propôs conversar com a Coreia do Norte na próxima semana. O anúncio veio um dia depois do líder norte-coreano, Kim Jong-un, sugerir um diálogo entre as coreias para aliviar as tensões militares e discutir a participação do país nas Olimpíadas de Inverno na Coreia do Sul. Se a Coreia do Norte aceitar, será a primeira conversa oficial entre os dois países em dois anos. Analistas temem que esta mudança repentina possa complicar as relações entre Seoul e Washington.

O ministro da Unificação da Coreia do Sul, Cho Myoung-gyon, pediu que a Coreia do Norte restabeleça o canal oficial de comunicação entre os dois países para acertar a agenda de conversas. A Coreia do Norte, por sua vez, ofereceu enviar uma delegação para as Olimpíadas de Inverno, que vão começar em fevereiro na cidade de Pyeongchang, na Coreia do Sul.

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, pediu repetidamente que a Coreia do Norte se juntasse ao sul nas Olimpíadas de Inverno, esperando que isso aliviasse as tensões militares. Moon diz que a participação da Coreia do Norte vai facilitar as conversas diplomáticas. Ele espera que isso aumente as negociações, envolvendo Washington e outros países, em prol da desnuclearização da Coreia do Norte.

Depois de ignorar Moon por meses, Kim abraçou a proposta da Coreia do Sul no discurso de Ano Novo. A Coreia do Sul propôs que os atletas da Coreia do Norte viajem até a Zona Desmilitarizada, onde costuma acontecer estes encontros. O país também quer discutir a possibilidade de as duas delegações marcharem juntas na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Inverno.

O simbolismo da marcha

Se a Coreia do Norte participar dos jogos e se as duas Coreias marcharem juntas, seria um marco nas relações entre as coreias. Em 2000, quando as coreias tiveram seu primeiro encontro histórico, as delegações marcharam juntas na cerimônia de abertura dos jogos de Sidney. Elas também marcharam juntas em 2004, nos jogos de Atenas, usando o nome Coreia. Mas nestes dois anos, os dois países competiram separadamente.

O cenário mudou quando conservadores sul-coreanos assumiram o poder em 2008 e instituíram medidas mais fortes contra o desenvolvimento de armas nucleares na Coreia do Norte. Em junho, Moon, cuja eleição em maio terminou os anos de poder dos conservadores, disse que esperava que as coreias marchassem juntas novamente em Pyeongchang.

O impasse americano

Kim Jong-un, além de propor enviar uma delegação olímpica, disse que a Coreia do Sul deveria parar de fazer exercícios militares conjuntos com os Estados Unidos. Moon sugeriu que a Coreia do Sul e os Estados Unidos adiem os exercícios militares para depois dos jogos.

O líder norte-coreano também exigiu que a Coreia do Sul pare de se juntar à campanha, liderada pelos americanos, destinada a impor sanções contra a Coreia do Norte. Em vez disso, a Coreia do Sul deveria trabalhar junto com a Coreia do Norte para trazer paz à Península Coreana.

Analistas dizem que Kim Jong-un está usando sua participação nas Olimpíadas de Inverno para tentar danificar a aliança entre Coreia do Sul e os Estados Unidos. Nesta terça-feira, Cho disse que a Coreia do Sul está consultando os Estados Unidos sobre as negociações com a Coreia do Norte.

Fontes:
The New York Times-South Korea Proposes Border Talks With North Korea After Kim’s Overture

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *