article image
Ativistas comemoram resultado do referendo (Alexander KHUDOTEPLY / AFP)
rússia x ucrânia

Crimeia faz pedido oficial de anexação à Rússia

Estados Unidos e Europa rejeitaram o referendo e anunciaram sanções à Rússia

fonte | A A A

O parlamento da Crimeia aprovou nesta segunda-feira, 17, uma resolução na qual se declara independente da Ucrânia e pediu oficialmente a anexação da península à Rússia. Nesta mesma sessão ficou decidido que a Península irá adotar o fuso horário e a moeda de Moscou.

Os cidadãos da Península da Crimeia decidiram pelo “sim” em referendo realizado neste domingo, 16, pela independência da Ucrânia e união à Rússia. Com todas as urnas apuradas, os números mostravam que 96,8% dos 81,3% da população que foram às urnas apoia a união. Já as reações do Ocidente não foram nada favoráveis. Estados Unidos e Europa rejeitaram o referendo e anunciaram sanções à Rússia. .

Leia mais:  O desfecho previsível do referendo na Crimeia

O Parlamento regional da Crimeia apresentou nesta segunda-feira, em sessão extraordinária, uma candidatura oficial de integração à Federação Russa. Já o novo governo pró-ocidental da Ucrânia pediu para que 20 mil homens se apresentem para integrar a recém-formada Guarda Nacional.

A população da Crimeia é de 2,3 milhões de pessoas, das quais 58% é formada por russos. A Península hoje é palco da maior crise entre Ocidente e Oriente desde a Guerra Fria.

Logo após a divulgação do resultado do referendo, o presidente norte-americano, Barack Obama, telefonou a Vladimir Putin. Desde o início da crise, esta é a terceira vez que os dois chefes de Estado conversam. Apesar disso, a Casa Branca acusou a Rússia de ocupação ilegal da Península em um comunicado que dizia: “Este referendo é contrário à Constituição da Ucrânia, e a comunidade internacional não reconhecerá os resultados de uma pesquisa administrada sob ameaças de violência e intimidação de uma intervenção militar russa que viola o direito internacional”.

 

De volta ao topo comentários: (7)

Sua Opinião

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Estado

Cidade

  1. Samuel Reis disse:

    Os russos sempre definiram de forma bastante distinta o que é etnia e o que é nacionalidade. Desse ponto de vista é fácil compreender a posição adotada pelo Kremlin, uma vez que a população “etnicamente russa” ultrapassa as fronteiras da Federação Russa englobando partes das antigas repúblicas soviéticas. Não se trata, portanto, de um mero processo migratório, tendo em conta que até bem pouco tempo todos eram de nacionalidade soviética, sendo ou não russos. A decisão acertada pela população da Criméia corresponde a exatamente isso, considerando que é majoritariamente russa, pois o ente (nacional) “soviético” que os unia já não mais existe. Para mim o evento recente representa mais um feito democrático impresso na história pelos nossos irmãos russos.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    DEIXA ISSO PARA LÁ, SE O POVO DA CRIMEIA ACEITOU O REFERENDO E DIZENDO SIM QUE SE LASQUE NO FUTURO SOB O REGIME DO PUTIN. OU A CRIMEIA TEM MUITO A DÁ POR ESTE MOTIVO OS EUA ESTÃO DE OLHO.

  3. DJALMA BENTES disse:

    Os “guardiães” do mundo (mas só porque seus interesses podem ser contrariados) não tem a menor moral para intervir em territórios onde seus próprios habitante tem seus desejos. Os estadunidenses fazem suas intervenções(de várias formas-espionagem e o escambau) em todas as partes do mundo ao bel prazer sem dar satisfações a ninguém. Não morro de amores pela Russia mas eles estão zelando pelos seus interesses(gás/oleodutos) e ‘respeitando’ que devia ser soberana aos habitantes russos que moram na Crimeia. Sanções econômicas contra a Russia não é a mesma que para Cuba, por exemplo. O bicho vai pegar ! A propósito: VOTE: 000+CONFIRMA.

  4. Joma Bastos disse:

    A Crimeia sempre foi um território independente, com a população de esmagadora maioria Tártara, de origem Muçulmana. Os russos invadiram e anexaram a Crimeia no ano 1783, e como consequência ficou forçosamente com a população de maioria russa, sendo esta a principal razão que a população de etnia Crimeia-Tártara deu apoio logístico à invasão nazista na segunda guerra mundial, porque a Crimeia queria retomar a sua original independência como País. No ano 1944 toda a população Crimeia-tártara residente, foi expulsa do seu território pela então união soviética.
    Com o colapso da URSS a Crimeia juntou-se à Ucrânia com o estatuto de território autônomo. Em 1992 a Crimeia declarou-se independente, mas mais tarde concordou em juntar-se à Ucrânia e manter-se com o estatuto de República Autônoma da Crimeia.

    Eu concordo com a independência da República da Crimeia, mas discordo da sua anexação à Rússia, porque este território é originalmente uma república independente, sendo esta a segunda vez que os russos a querem anexar pela força O referendo é ilegal simplesmente porque a população atual de maioria pró-russa, foi resultado de uma migração forçada de população russa, pela anexação de 1783 e acrescida atualmente pelos amigos, familiares e descendentes dos marinheiros e militares da base naval russa estacionada neste território e da completa expulsão da população original Crimeia-Tártara em 1944(cerca de 50% destes deportados morreram de fome e doenças).

    Como os Tártaros se estão sentindo espoliados do seu território original, estes já prometeram guerrilha armada e é necessário que a Rússia tenha atenção a estes potenciais radicalistas.

  5. rene luiz hirschmann disse:

    A UE e os USA devem aceitar a vontade do povo na Criméia, na Ucrania foi puro golpe de estado, derrubaram um presidente eleito pelo povo, pensar que a Russia é um Iraque ou Afeganistão não é muito sensato,

  6. Carlos U Pozzobon disse:

    Dizer que 58% da população da Crimeia é russa é o equivalente a dizer que 58% da população dos estados do sul do Brasil é formada por alemães e italianos. Ser descendente só assume o feitio de nacionalidade quando o chauvinismo toma conta da política. A separação não pode ser um processo feito de afogadilho, pois não se pode ficar pertencendo a um país e a outro ao deus dará. Os EUA tem Porto Rico como estado anexado, e a China tem o problema de Taiwan que se declarou independente em 49 e até hoje não é reconhecido pela China. O território da Crimeia é historicamente ucraniano, o que significa que a ferida ficará aberta para sempre. O que poderá amenizar o problema será a nova divisão da Ucrânia, ao que tudo indica, separando-se ao leste para formar uma nação independente aos moldes da Tcheco e Eslováquia. Este vai ser o novo quebra-cabeça no tabuleiro da União Europeia, pois os russófilos vão se sentir encorajados a repelirem o novo regime de Kiev a partir do sucesso na Crimeia.

  7. Helio Rosa disse:

    O que vale para o Ocidente vale para Oriente. Vide Iraque.