Início » Vida » Comportamento » Crise europeia multiplica mazelas sociais da Grécia
Tragédia grega

Crise europeia multiplica mazelas sociais da Grécia

Sem emprego, população grega recorre às drogas e à prostituição para sobreviver às medidas de austeridade

Crise europeia multiplica mazelas sociais da Grécia
Homem se prepara para consumir uma dose de Shisha nas ruas de Atenas (Reprodução/Angelos Tzortzinis)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Conforme a Grécia entra em seu quinto ano de depressão econômica, a população do país assiste impotente suas mazelas sociais se multiplicarem.

Com a taxa de desemprego atingindo 60% da população jovem, cada vez mais mulheres e homens recorrem à prostituição. Somente nos últimos dois anos, a prática aumentou 150% no país. Com menos clientes disponíveis, o preço do programa também caiu, custando, por vezes, menos de US$ 10.

Uma nova droga chamada Shisha também se alastrou durante a crise. Conhecida como “cocaína de pobre”, a droga é feita de uma mistura de metanfetamina, álcool, barbitúricos e até líquido de bateria. O entorpecente é feito para ser fumado, mas um grande número de dependentes passou a injetá-lo, o que fez com que o número de casos de HIV no país aumentasse 50% desde 2011.

As medidas de austeridade impostas pelo resgate econômico esvaziaram os cofres públicos e, para economizar, o governo foi obrigado a cortar programas de assistência social e saúde pública.

A polícia vem tentando controlar o problema. Durante as rondas diárias, prostitutas e viciados são detidos e presos. A solução é apenas temporária. Na prisão os presos estão distantes das drogas e das ruas, mas não recebem qualquer tipo de assistência para recuperar a dignidade.

Fontes:
The New York Times-Societal Ills Spike in Crisis-Stricken Greece

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Jorge Christian Rodrigues Cunha disse:

    A difícil situação econômica da Grécia não nos envolve diretamente, mas é sempre muito bom o jornal publicar matérias desse tipo, como um exemplo do que não se deve fazer. Por muito tempo, os gregos viveram acima das suas possibilidades. Com a moeda única europeia, lançada no ano 2000, pensou-se que, por serem europeus, todos os europeus, gregos, portugueses, etc., poderiam ter o padrão de vida da Alemanha. Só que não tinham os alicerces econômicos da Alemanha. Houve muito desperdício, muita gastança.

    Deve servir de lição para nós. O brasileiro não está acostumado a cultivar o civismo. Quantas vezes se vê lâmpadas em ruas, praças, etc., acesas o dia todo, e as pessoas pensam “Não é problema meu”. Da próxima vez, procure lembrar que é o dinheiro público que está sendo desperdiçado. Se for no Rio de Janeiro, vá ao site http://www.1746.rio.gov.br, clique no item “Faça sua solicitação on-line”, vá ao item da Rioluz, e informe “Postes com problemas de iluminação…”. Não custa nada, só alguns minutos do seu tempo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *