Início » Internacional » Crise hídrica da Bolívia tem raízes no aquecimento global
MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Crise hídrica da Bolívia tem raízes no aquecimento global

A pior seca em 25 no país é fruto do derretimento de geleiras responsáveis pelo abastecimento de água nas principais cidades bolivianas

Crise hídrica da Bolívia tem raízes no aquecimento global
Três grandes reservatórios que abastecem La Paz estão quase secos (Foto: Twitter/ONU)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O governo da Bolívia, um país sem saída para o mar, foi forçado a declarar estado de emergência por conta da mais severa crise hídrica dos últimos 25 anos.

A crise é fruto do aquecimento global, que nos últimos anos fez desaparecer geleiras de montanhas andinas responsáveis por grande parte do abastecimento de água nas cidades bolivianas.

Em La Paz, a capital de maior altitude do mundo, e em El Alto, segunda maior cidade da Bolívia, grande parte do abastecimento de água provinha de geleiras do entorno da região. Tais geleiras foram derretendo rapidamente nos últimos anos diante do aquecimento global, desencadeando uma crise hídrica em um dos países mais pobres do continente latino-americano.

Três grandes reservatórios que abastecem La Paz e eram alimentados pelas geleiras estão quase secos. O governo iniciou o racionamento de água e em El Alto, onde muitos não têm saneamento básico, houve protestos.

O exército foi destacado para realizar o fornecimento de água. Poços artesanais de emergência estão sendo perfurados em algumas regiões do país para aliviar a situação e as escolas vão antecipar em duas semanas as férias de verão.

O presidente Evo Morales demitiu o chefe da companhia estatal de água do país por não alertá-lo do problema com antecedência. Porém, os danos causados pelo aquecimento global são evidentes há décadas.

Essas evidências foram apontadas em um recente relatório sobre o abastecimento de água na Bolívia, elaborado pelo Stockholm Environment Institute (SEI), um centro de pesquisas voltadas para o meio ambiente. “As temperaturas na região aumentaram 0,5°C entre 1976 e 2006, e a população de La Paz pode observar a evidência das mudanças climáticas na retração das geleiras das montanhas em seu entorno. Uma geleira na montanha Chacaltaya, que fica em El Alto e já foi o resort de esqui mais alto do mundo, já desapareceu completamente. E as duas geleiras Tuni-Condoriri, que forneciam água para El Alto e La Paz perderam 39% de sua área entre 1983 e 2006”.

Segundo o relatório, se as previsões de que a temperatura global vai aumentar em 2°C até 2050 estiverem corretas, muitas geleiras pequenas vão desaparecer e outras reduzirão drasticamente, intensificando o problema de abastecimento de água na Bolívia e causando um efeito dominó. “As geleiras e os cursos de água das montanhas também são responsáveis por suprir o setor agrícola, de geração de energia e ecossistemas naturais da região”, diz o relatório do SEI.

Fontes:
The Guardian-Shrinking glaciers cause state-of-emergency drought in Bolivia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Crise hídrica da Bolívia tem origem na incompetência: desde o século XIX os geólogos anunciam que as geleiras estão secando. Boa oportunidade para construir um aqueduto e o Brasil fornecer água do aquífero de Alter-do-Chão em troca de gás. Como é longe de suas fronteiras, Morales não vai poder estatizar como fez com a Petrobras. Dá para tirar o prejuízo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *