Início » Internacional » Cristina Kirchner é indiciada por lavagem de dinheiro
ARGENTINA

Cristina Kirchner é indiciada por lavagem de dinheiro

Segundo a denúncia, Kirchner teria usado hotéis na Patagônia onde sua família detém participação para receber pagamentos do setor de obras públicas

Cristina Kirchner é indiciada por lavagem de dinheiro
Kirchner prestou depoimento em novembro de 2017 e negou as acusações (Foto: Cristina Fernandez de Kirchner/Facebook)

A Justiça da Argentina indiciou a ex-presidente do país e atual senadora Cristina Kirchner e seus filhos, Máximo e Florencia Kirchner, por lavagem de dinheiro na última segunda-feira, 14. Trata-se do quinto indiciamento judicial da parlamentar.

Segundo a denúncia, entre 2007 e 2015, Kirchner, então presidente do país, teria usado hotéis na Patagônia, administrados pela empresa familiar Hotesur, com participação de Kirchner e seus dois filhos, para receber pagamentos de empresários do setor de obras públicas através do aluguel de quartos do estabelecimento. No esquema estaria envolvido o empresário Lázaro Báez, que está em prisão preventiva desde 2016.

Ademais, a Justiça argentina, por meio do juiz Julián Ercolini, ordenou embargos a cada um dos envolvidos no esquema no valor de 800 milhões de pesos (R$ 116 milhões).

Além de Cristina Kirchner, seus filhos e o empresário Báez, estão sendo acusadas outras 17 pessoas no caso de lavagem de dinheiro, entre elas a sobrinha da ex-presidente, Romina Mercado. Outros nomes do governo de Kirchner também estão sendo indiciados, como o ex-ministro de Planejamento Julio De Vido e o ex-vice-presidente Amado Boudou.

Segundo Julián Ercolini, a empresa Hotesur seria “uma das pessoas jurídicas através das quais a família Kirchner teria recebido periodicamente dinheiro obtido mediante a fraudação contra o Estado nacional”, conforme afirmou em março, segundo o portal Uol.

As investigações sobre o caso Hotesur, como tem sido conhecido, começaram em novembro de 2014 depois da denúncia feita pela deputada nacional Margarita Stolbizer. No entanto, em novembro de 2017, Cristina Kirchner prestou depoimento negando todas as acusações, afirmando que toda a atividade da empresa tem sido totalmente legal.

No mês seguinte, em dezembro, foi expedida uma ordem de prisão preventiva contra a ex-presidente por obstruir as investigações sobre o atentado contra a sede da organização judaica Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), em Buenos Aires, em 1994. No entanto, devido aos privilégios parlamentares, a ordem não foi cumprida.

 

Leia também: Cristina Kirchner é indiciada por corrupção
Leia também: Cristina Kirchner é nove vezes mais rica após 12 anos de governo

Fontes:
Folha de São Paulo-Cristina Kirchner e filhos são indiciados por lavagem de dinheiro
Uol-Juiz indicia Cristina Kirchner e seus filhos por lavagem de dinheiro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *