Início » Internacional » Cuba patrocina o terrorismo?
Debate nos EUA

Cuba patrocina o terrorismo?

Obama pode estar prestes a tirar Cuba da lista de países que financiam o terrorismo. A medida faz sentido?

Cuba patrocina o terrorismo?
O presidente cubano, Raúl Castro, ficará cara a cara com Obama na cúpula (Reprodução/Wikipédia)

O presidente americano, Barack Obama, pode estar perto de anunciar a retirada de Cuba da lista de países que patrocinam o terrorismo. Ao chegar ao Panamá na última quinta-feira, 9, onde participa da VII Cúpula das Américas, Obama citou progressos na reaproximação entre Cuba e EUA e disse que o Departamento de Estado havia concluído uma revisão da relação de Cuba com o terrorismo. Segundo um senador ouvido pela Reuters, o Departamento de Estado dos EUA recomendou a retirada de Cuba da lista de patrocinadores do terrorismo.

A Cúpula colocará Obama cara a cara com o presidente cubano, Raúl Castro, pela primeira vez desde que os EUA anunciaram que iriam começar a normalizar as relações com a Ilha. A remoção de Cuba da lista de terroristas abriria caminho para a reabertura de embaixadas em ambos os países, fechadas há mais de meio século.

Atualmente, o governo americano mantém quatro países na lista de patrocinadores do terrorismo: Cuba, Irã, Sudão e Síria. Cuba se mantém na lista desde 1982. Segundo a última revisão do Departamento de Estado sobre o status de Cuba, concluído em 2013, a Ilha servia como refúgio para membros do ETA (Liberdade para a Pátria Basca) e das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Mas, segundo o próprio documento, havia indícios, já em 2013, que os laços de Cuba com o ETA haviam se afrouxado nos últimos anos.

Ao longo de 2013, o governo cubano também participou de negociações entre as Farc e o governo colombiano, destinadas a intermediar um acordo de paz entre os dois. “O governo cubano tem facilitado a viagem de representantes das Farc a Cuba para participar dessas negociações, em coordenação com representantes dos governos da Colômbia, Venezuela, Noruega, bem como a Cruz Vermelha”, diz o relatório americano. “Não há nenhuma indicação de que o governo cubano forneceu armas ou treinamento paramilitar a grupos terroristas.”

Entretanto, o relatório de 2013 diz também que Cuba continua a “abrigar fugitivos procurados nos EUA”. Sem dar detalhes, o documento denuncia que o governo cubano “presta apoio, como moradia, alimentos e cuidados médicos a estes indivíduos”.

Questionado sobre a possibilidade de anunciar a retirada de Cuba da lista, Obama disse: “Nossa ênfase tem sido nos fatos”, disse Obama na quinta-feira. “Nós queremos ter certeza de que, uma vez que esta é uma ferramenta poderosa para isolar os países que realmente apoiam o terrorismo, que, quando fazemos essas designações temos fortes indícios de que, na verdade, este é o caso. À medida que as circunstâncias mudam, então essa lista vai mudar também”.

Fontes:
Department of State – State sponsors of terrorism overview
Reuters - State Department recommends removing Cuba from terrorism list: Senate source

1 Opinião

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    Que mal lhes pergunte: hoje em dia, quando Cuba depende de doações de petróleo da Venezuela e faz algum cascalho ‘alugando mão-de-obra’ para outros países (Mais Médicos…!), ele iria patrocinar o terrorismo contra os EUA com o quê? E pra quê?! Acho que eles já abandonaram a ideia (absurda) de “exportar a revolução” há muito tempo, e agora Raul Castro está adotando uma linha mais pragmática voltada para alcançar um ‘capitalismo de Estado’ à la Beijing, e assim ir esticando a continuidade do regime. Mas, pra quem? Ora bolas, tanto Fidel quanto Raul já são idosos, e mais dia menos dia ambos vão ‘sair de cena’… Quem são os herdeiros políticos da Dinastia Castro?…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *