Início » Internacional » Cúpula do G20 chega ao último dia sem resoluções
RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Cúpula do G20 chega ao último dia sem resoluções

Assuntos como a tensão comercial entre EUA e China, o impasse diplomático entre Rússia e Ucrânia e o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi não foram debatidos abertamente

Cúpula do G20 chega ao último dia sem resoluções
Cúpula chega ao fim neste sábado (Foto: Divulgação/G20)

A Cúpula dos Líderes do G20, que acontece em Buenos Aires, na Argentina, chega ao fim neste sábado, 1. Para o último dia de reuniões, a maior expectativa gira em torno de um possível entendimento entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, que protagonizam uma intensa guerra comercial.

No entanto, participantes do evento já não acreditam em uma rápida resolução entre os líderes. O ministro da Fazenda do Brasil, Eduardo Guardia, admitiu que o assunto não deve ser resolvido durante o G20. Por isso, a expectativa é que a tensão comercial entre os países se prolongue.

O principal evento do último dia deve ser a “passagem de bastão” da Argentina para o Japão, que ocupará a presidência do grupo no próximo ano. Na cerimônia de encerramento, o presidente argentino, Mauricio Macri, e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, vão discursar e devem falar sobre a próxima cúpula, que vai ocorrer em Osaka em 2019.

Assinatura cerimonial

No primeiro dia do G20, os presidentes Donald Trump, dos EUA, Enrique Peña Nieto, do México, e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, realizaram a cena mais marcante: a assinatura do acordo comercial entre os países. O novo Acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA, na sigla em inglês) vai substituir o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta).

No entanto, a assinatura foi apenas cerimonial. Isso porque o Congresso dos Estados Unidos ainda precisa aprovar a proposta para que ele entre em vigor. Acredita-se que a cerimônia foi realizada porque Enrique Peña Nieto vai deixar a presidência do México neste sábado, e, como foi um dos negociadores do acordo, fez-se necessário a presença do chefe de Estado.

Tensão nos bastidores

Havia a expectativa de que outras questões fossem abertamente debatidas durante o G20, como o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, supostamente a mando do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman. Ademais, também acreditava-se que houvesse um desdobramento da tensão diplomática entre Rússia e Ucrânia, que causou o cancelamento da reunião entre Trump e Vladimir Putin. Porém, no primeiro dia, os assuntos não foram abertamente abordados.

Segundo o jornal Guardian, o presidente da França, Emmanuel Macron, chegou a conversar com bin Salman, em caráter privado, sobre a situação de Khashoggi, afirmando estar preocupado. O príncipe herdeiro, por sua vez, acalmou o chefe de Estado francês.

 

Leia mais: Cúpula do G20 tem início em Buenos Aires
Leia também: EUA e Canadá chegam a um acordo para o ‘novo Nafta’

Fontes:
Folha de São Paulo-G20 deve jogar resolução de impasse comercial para o âmbito da OMC
The New York Times-Dodging Friends, Chased by Legal Troubles, Trump Navigates G-20

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *