Início » Internacional » Decadência de Westminster é mais rápida do que reforma
Londres

Decadência de Westminster é mais rápida do que reforma

Pressão para que os parlamentares saiam do palácio de Westminster aumenta a cada dia

Decadência de Westminster é mais rápida do que reforma
O palácio está em péssimo estado de conservação (Fonte: Reprodução/Getty Images)

Observem o Palácio de Westminster em uma noite chuvosa e verão as luzes trêmulas, que brilham nas janelas de seus 1.100 aposentos. A água das goteiras interfere nos fios roídos por ratos do sistema de eletricidade da época vitoriana. Porém a umidade e as goteiras têm uma vantagem: diminuem temporariamente o risco de incêndio nesse prédio neogótico, agora protegido por sprinklers modernos, mas que range sob o peso dos anos.

O palácio está em péssimo estado de conservação. Em um discurso proferido em 2 de março, John Bercow, o porta-voz da Câmara dos Comuns, disse que a decadência do prédio é mais rápida do que as reformas que são feitas. Segundo Bercow, a reforma do Parlamento custará em torno de £3 bilhões (US$ 4,6 bilhões). A construção de um novo terminal no aeroporto Heathrow custaria um terço a mais dessa quantia.

A opção mais sensata e eficaz seria encontrar outro lugar onde os membros do Parlamento pudessem se reunir durante o período de reforma do palácio e modernização da instalação elétrica. Mas a ideia de ficarem distantes dos departamentos do governo, dos estúdios de televisão e de um prato decente de spaghetti alle vongole não agradou aos políticos.

O Parlamento deverá se pronunciar a esse respeito logo depois das eleições gerais. É provável que o palácio de Westminster deixe de ser a sede da Câmara dos Comuns, o que seria uma boa medida. O palácio não tem instalações adequadas para esse objetivo. Não é possível, por exemplo, mesmo com reformas, aumentar o salão da Câmara dos Comuns o suficiente para que os parlamentares possam se sentar. Nem eliminarão o ambiente antiquado do lugar, com uma aparência mais de um hotel com preços razoáveis no campo do que o centro da moderna democracia.

Fontes:
The Economist - The Palace of Westminster: House of Cards

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *