Início » Internacional » Decifrando o abanar de rabo dos cachorros
Comportamento animal

Decifrando o abanar de rabo dos cachorros

Cachorros abanam seus rabos para a direita quando veem algo prazeroso e para a esquerda quando veem algo desagradável

Decifrando o abanar de rabo dos cachorros
Cachorros têm cérebros lateralizados, assim como os humanos (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Canhoto x destro. Comunista x conservador.  A diferença entre esquerda e direita para seres humanos não se resume apenas à mão com a qual se escreve e simetria. E o mesmo se aplica aos melhores amigos do homem, uma vez que para estes “direita” e “esquerda” também querem dizer coisas diferentes. Especificamente, a questão está ligada à direção para a qual eles abanam seus rabos. E para os cachorros, também é o lado esquerdo que está associado ao canhotismo.

Essa pesquisa começa há alguns anos, quando Giorgio Vallortigara, da Universidade de Trento, na Itália, e seus colegas, verificaram que os cachorros abanam seus rabos para a direita quando veem algo prazeroso, tal como um querido dono humano, e para a esquerda quando veem algo desagradável, tal como um cachorro dominante não familiar. O que o dr. Vallortigara não verificou foi se tais sinais são significativos para outros cachorros. Agora ele e sua equipe do estudo anterior fizeram justamente isso.

Conforme relataram recentemente no periódico Current Biology, eles conectaram várias dezenas de cachorros de ambos os sexos de diversas raças a eletrodos para registrar os batimentos cardíacos dos animais, e em seguida lhes expôs a vídeos de cachorros, ou silhuetas de cachorros cujos rabos abanavam para a esquerda ou para a direita. Eles verificaram que um rabo que abana para a esquerda induzia uma frequência cardíaca máxima mais alta (isto é, uma resposta de ansiedade) que um rabo que abana para a direita, e essa frequência cardíaca máxima durava mais tempo. Um rabo que abana para a direita produziu os mesmos efeitos que um rabo estacionário.

Fontes:
The Economist-Wag the dog

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *