Início » Internacional » Depois de Cuba, EUA ensaiam reaproximação com Venezuela
Diplomacia

Depois de Cuba, EUA ensaiam reaproximação com Venezuela

Mudança de rumo na política americana sinaliza que Obama quer menos ideologia e mais pragmatismo no trato com países sul-americanos

Depois de Cuba, EUA ensaiam reaproximação com Venezuela
Aproximação entre governos de Obama e Maduro está em fase inicial, diz Reuters (Foto: Wikipédia)

Uma notícia importante dos bastidores da reaproximação entre Washington e Havana está vindo à tona. Após anos de afastamento, os EUA abriram uma linha de comunicação de nível sênior com o governo venezuelano de Nicolás Maduro, adotando uma estratégia mais pragmática e menos ideológica no seu trato com um tradicional adversário do Sul. A mudança está em linha com a reaproximação dos EUA com Cuba.

Os EUA e a Venezuela não mantêm relações diplomáticas plenas desde 2008. O comércio e a imigração têm mantido os dois povos em contato constante, mas em nível governamental, os dois países se consideram rivais e mantêm uma distância há sete anos.

Agora, Washington parece ter abraçado a ideia de ir além da retomada de algum contato diplomático para restaurar relações diplomáticas plenas com Caracas, segundo relatos. A mudança no contexto geopolítico parece ser uma parte crucial desse quebra-cabeça. À luz do progresso que está sendo feito entre Washington e Havana, a reaproximação entre EUA e o governo Maduro parece ser um sinal de um esforço diplomático mais amplo de Washington na América do Sul.

A reaproximação com o governo mais anti-Washington da América Latina e, ao mesmo tempo, o maior fornecedor de petróleo aos EUA, acontece no momento em que o presidente Nicolás Maduro encara uma economia decadente que ficou mais isolada com a retomada das relações EUA-Cuba.

Segundo um funcionário sênior do governo americano que falou à Reuters, Maduro “percebeu que, se podemos falar com os cubanos, podemos falar com ele também” e chegou a pedir “um canal direto de comunicação com o presidente Obama”, em março deste ano.

A aceitação dos EUA em reatar os laços com a Venezuela ainda está em fase inicial, segundo a Reuters, e enfrenta obstáculos, mas a ideia que se tem é que o governo Obama quer encontra um novo equilíbrio menos ideológico na sua relação com países sul-americanos.

Fontes:
World Policy Blog - Venezuela on the Backburner
Reuters - Exclusive: U.S., Venezuela launch quiet diplomacy to ease acrimony

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Evidente que os USA se reaproximam de Cuba e da Venezuela porque precisam pacificar a região – cortando as linhas de abastecimento das Farc – para poderem aumentar o calado do canal do Panamá. Maduro que não é burro, embora pareça, ameaça uma guerra com a Guiana para aumentar seu poder de barganha. Os esquerdistas sub-desenvolvidos Rafael Correa e Evo Morales ficam isolados e Dillma . . . Dilma não entende nada disso.

  2. Roberto1776 disse:

    O Obama está certo. Com essas economias a beira da falência devido a governos de extrema esquerda, o melhor a fazer é acenar com as vantagens do capitalismo.O Vietnam é um ótimo exemplo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *